WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
ponte pontal ilheus hospital ilheus secom bahia embasa secom ponte ilheus prefeitura de ilheus secom bahia


novembro 2020
D S T Q Q S S
« out    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  


:: ‘usina’

USINA ASFÁLTICA ESTÁ PARALISADA MAIS UMA VEZ

Do Tabuleiro

Usina.

Mais uma vez, a usina asfáltica de ilhéus foi paralisada e agora o motivo encontrado  foi no sistema  de refrigeração do equipamento. O fato foi confirmado na manhã desta terça-feira (31) pelo secretário de Infraestrutura, Transporte e Trânsito do município, Átila Dócio, em entrevista ao comunicador Vila Nova no programa O Tabuleiro da Ilhéus FM.

“Quando detectamos o sistema elétrico danificado, aquele que foi boicotado, pensamos que era somente aquilo mas existia também o problema mecânico nos motores. A CTA (empresa ganhadora da licitação) conseguiu prestar manutenção, logo em seguida surgiu problema no sistema de automação do Painel de controle e por último da refrigeração, sendo necessário 4 mecânicos para solucionar problemas diferentes, cada um em sua área”. afirmou.

O secretário disse que o sistema de refrigeração da usina estava bypassado e os exaustores deteriorados, para resolver a situação foi adquirido um novo exaustor que deve ser entregue na próxima quarta-feira .

Durante  a entrevista o secretário disse que está em tratativas com as prefeituras de Itabuna e Jequié, no objetivo de conseguir algumas caçambas de asfalto e iniciar a operação tapa buracos. Por enquanto os 17 quilômetros de asfalto prometidos pelo governo do estado estão suspensos.

POLÍCIA CONFIRMA DANOS À USINA ASFÁLTICA DE ILHÉUS

Maquinário danificado.

Laudo pericial emitido pelo Departamento de Polícia Técnica da Polícia Civil de Ilhéus confirma denúncia feita pelo secretário municipal de Infraestrutura, Transportes e Trânsito, Átila Dócio, sobre danificações causadas nas instalações elétricas e outros equipamentos da Usina Asfáltica de Ilhéus, localizada na Rodovia Ilhéus-Uruçuca BA-262, Quadra A, Loteamento Nova Ilhéus, no Bairro Iguape. O secretário disse que foi comunicado pelo senhor de prenome Reginaldo, morador de um casebre no local, que “desconhecidos adentraram a área onde está instalada a Usina Asfáltica e danificaram as instalações elétricas das máquinas e vários equipamentos, comprometendo o funcionamento dos mesmos.”

A queixa foi prestada na Polícia no último dia 15 de maio, a partir de quando foi instaurado o inquérito policial. O laudo pericial constata “corte nos Cabos de Alimentação e Controle dos Módulos aqui referenciados incluindo os eletrodutos onde os segmentos dos cabos e condutores de controle foram furtados pelo (s) autor(es). O aparelho de ar condicionado foi puxado de sua posição original com o objetivo de facilitar a retirada dos cabos, mas deixados no local tanto o compressor como o difusor do aparelho.”

O titular da Seintra explica que houve processo licitatório para nova contratação de empresa para operacionalizar a Usina, vencido pela empresa CTA. Enquanto o município formalizava o contrato com a empresa e adotava outras providências para a volta às operações de pavimentação asfáltica das vias da cidade, fomos notificados sobre o ocorrido na Usina, que naquele momento ainda não tinha sido devolvida formalmente à Prefeitura, pela empresa que a operava e cujo contrato se encerrou.”

O secretário Átila Dócio afirma que o prefeito Mário Alexandre lamentou o ocorrido, “justamente num momento em que as nossas vias estão bastante danificadas devido às chuvas, com o número crescente de buracos, e determinou uma perícia técnica especializada no equipamento, para levantamento do valor dos danos causados e em que prazo o conjunto de equipamentos danificados poderão ser consertados, para que o retorno ao pleno funcionamento da Usina Asfáltica de Ilhéus”. Dócio acrescentou que alguns equipamentos da Usina se encontravam no município de Itacaré.

ATRASO DE ALUGUÉIS DIFICULTA RETORNO DA USINA ASFÁLTICA DE ILHÉUS

Do Blog do Gusmão

A usina, Ednaldo Azevedo e Isaac Albagli.

Em 2016, na gestão do ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP), a Prefeitura de Ilhéus terceirizou para a CMA Comercial Ltda a operação da usina de asfalto do município, após o fim do vínculo com a primeira empresa que operou o equipamento. Atualmente, o governo municipal trabalha para retomar o funcionamento da fábrica com uma terceira empresa, pois o contrato com a CMA não foi renovado. Enquanto se despede de Ilhéus, a CMA acumula dívidas ligadas ao terreno particular ocupado pela usina.

A dívida da CMA prejudica o município, porque dificulta o retorno do funcionamento da usina com a nova operadora. O proprietário da área se dispôs a aceitar a manutenção do equipamento no terreno, desde que o débito da CMA seja quitado. O problema é que a prefeitura não pode assumir uma pendência da empresa particular.

A informação sobre a dívida da CMA reforça o fato da paralisação da usina não ter mais nenhum vínculo com o embargo da Superintendência do Meio Ambiente, ao contrário da ideia ventilada por opositores do governo Mário Alexandre. Após acordo, o próprio município autorizou a volta da operação da fábrica.

O município não é o único prejudicado, já que o dono do terreno aguarda uma resolução do impasse para retomar seu imóvel ou firmar novo contrato de aluguel.

O Blog do Gusmão procurou o proprietário da área, o senhor Francisco Andrade Galvão, com quem conversamos hoje por telefone. Ele confirmou a existência do débito e enfatizou que a responsabilidade é da CMA, não do município.

Francisco explicou que oito terrenos de um loteamento compõem a área alugada. O valor mensal do aluguel é de R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais). Segundo o proprietário, são dezesseis parcelas em atraso, correspondentes aos meses entre janeiro de 2017 e abril deste ano. Para ele, como a CMA não formalizou a devolução do espaço, o prazo ainda corre.

Contando os dezesseis meses de aluguel, a dívida da CMA chega a R$ 40.000,00 (quarenta mil reais). Além disso, segundo Francisco Andrade, a empresa deve também os valores referentes ao IPTU. Nesse caso, há um imposto para cada um dos oito terrenos.

Conforme Francisco, como a CMA não pagou os impostos, ele mesmo os quitou, com a expectativa de ser reembolsado pela empresa responsável pelo pagamento.

Somados impostos e aluguéis, a dívida da CMA com o proprietário do terreno passa dos setenta mil reais, sem considerar eventual cobrança de juros. Na conversa com o blog, Francisco preferiu não dar os valores exatos, pois não os tinha em mãos.

O engenheiro responsável pela CMA é Ednaldo Azevedo. Ele também trabalhou para a primeira empresa que operou a usina, logo depois de deixar a Superintendência de Obras, órgão vinculado à Secretaria de Infraestrutura, Transporte e Trânsito de Ilhéus, durante o governo Jabes Riberio. Ednaldo ocupou o cargo sob as bençãos do ex-secretário da pasta, Isaac Albagli, homem forte do jabismo.

PRA QUÊ TANTO BURACO, MARÃO?

Do Ilhéus em Pauta

Buraqueira

O descaso vem tirando a paz e a tranquilidade de moradores de alguns locais em Ilhéus. Pelas redes sociais podemos constatar inúmeras reclamações durante o fim de semana.

Moradores do Alto do Coqueiro zona norte de Ilhéus se reuniram em mutirão para consertar uma das principais ladeiras de acesso ao bairro. Segundo um dos moradores, eles estão cansados de esperar no poder público municipal “O Alto do coqueiro é abandonado pela prefeitura, entra ano e sai ano e pouquíssimas intervenções são feitas no bairro, essa ladeira que estamos consertando, já tem uns três anos com esses buracos e eles não fazem nada, só olham por nós em época de eleição, mas quando passa, esquecem que existimos, então colocamos a mão na massa e fizemos o que deveria ser trabalho deles” comentou.

Ainda na zona norte da cidade, outros problemas vêm causando transtorno para os motoristas e pedestre no Parque Infantil/Malhado, diversas crateras vêm se formando devido a má qualidade do asfalto tornando o trânsito perigoso, já que motoristas procuram desviar dos buracos e com isso a possibilidade de ocorrer um acidente é grande. “Estamos cansados de ver essa situação da rua e ninguém tomar atitude. Não é justo pagar impostos – IPTU e sermos tratados com desprezo”, disse uma moradora que não quis se identificar. Para tentar minimizar os problemas moradores sinalizaram o local com madeira e outros objetos para alertar os motoristas e evitar acidentes.

Na zona industrial também na zona norte, moradores e os trabalhadores que circulam pelo local também reclamam da má qualidade do asfalto. Pelas redes sociais moradores fazem alerta para que motoristas fiquem atentos. É preciso redobrar a atenção nas proximidades do Café Polar, de frente a sede da 70ª CIPM, logo após o Chocolate Caseiro, acesso a praias do norte da cidade, a pista de rolamento apresenta diversos buracos, causando sérios prejuízos aos ilheenses e turistas que obrigatoriamente tem que circular na rotatória.

PREFEITURA VAI APLICAR ASFALTO NOS BAIRROS NO FIM DE SEMANA

Do Tabuleiro

Usina a todo vapor.

A redação de O Tabuleiro recebeu com exclusividade a programação da Usina Asfáltica para este fim de semana. A Usina é operada pela empresa CMA Comercial LTDA. Em abril a empresa foi notificada e teve sua operação embargada, retornando seu funcionamento na última segunda-feira (04). De acordo com a programação os locais a serem atendidos são Zona Sul, Centro e Teotônio Vilela. Confira abaixo as localidades:

SEXTA-FEIRA (08)
Zona Sul
Dia: Hernani Sá e Nossa Senhora Aparecida até Opaba;
Noite: 13 de maio e Lomanto Junior;
Zona Norte:
Dia: Av ACM e Litorânea Norte;
Centro:
Noite: Rua Bento Berilo e Ruas do centro(Bancos, SAC e Delegacia)

SÁBADO (09)
Centro
Manhã: Av Soares Lopes;
Tarde: Almiro Vinhais (Bahiapesca), Princesa Isabel e Av. Itabuna;
Final da Tarde: Semáforo da Av Itabuna com entrada do Malhado(Em frente à LR auto peças)
Noite: Semáforo da Osvaldo Cruz com Avenida Canivieiras (pista da direita em frente ao colégio – Lado do Estádio)

DOMINGO (10)
Vilela

TRAPALHADA ATRASA RETORNO DA USINA ASFÁLTICA DE ILHÉUS 

Buraco na região central. Foto do Ilhéus em Resumo

A Superintendência de Meio Ambiente de Ilhéus parece não ter pressa alguma em ver de volta em funcionamento a usina asfáltica do próprio município.

Embargada desde o mês de abril, pelo superintendente e blogueiro Emilio Gusmão, a usina deveria estar liberada desde a última sexta, dia 5, pra produzir e aplicar o asfalto. No entanto, os termos do acordo assinado pelo município e pela CMA, empresa responsável pela usina, não são os mesmos que estão publicados no diário oficial.

Detalhe: essa é a segunda vez que a versão do acordo é publicada errada. Comparamos as versões da última sexta e desta segunda e são idênticas. 

Procuramos o responsável pela CMA, Ednaldo Azevedo, e ele nos confirmou que o acordo publicado não é o que foi assinado, o que inviabiliza o retorno das atividades da usina e prolonga a convivência nada agradável do ilheense com os buracos.

Agora, cabe o questionamento: a publicação errada, por duas vezes, foi só um equívoco ou má fé do superintendente Emilio Gusmão?

UM BURACO PRA CADA ILHEENSE

Buracos de estimação na Rua 13 de Maio, no Pontal. Foto: Jonathan Souza/Portal I’Midia.

O prefeito Mário Alexandre (PSD) precisa resolver de vez o problema da usina de asfalto de Ilhéus. Há 15 dias, Marão foi à imprensa e disse que o equipamento voltaria a operar na semana seguinte, mas não cumpriu a promessa (lembre aqui). Enquanto isso, a buraqueira só aumenta. É quase um buraco pra cada ilheense.

Na Rua 13 de Maio, único acesso às praias do sul, é impossível andar em linha reta, dada a quantidade de buracos. No centro da cidade não é diferente. A menos de 300 metros da câmara de vereadores e do Palácio Paranaguá, há duas crateras.

Buracos no centro da cidade. Foto Ilhéus em Resumo.

A buraqueira na cidade é patrocinada pelo superintendente de Meio Ambiente, o blogueiro Emílio Gusmão, e pelo vice-prefeito, secretário de Planejamento e chefe de Gusmão, José Nazal (ambos da Rede).

Como se sabe, Gusmão embargou, sem o conhecimento do prefeito, a usina do próprio município, em abril. Alegava danos ambientais, que foram descartados após estudos, como afirmou o próprio  Mário Alexandre. No entanto, de lá pra cá, segundo fontes do próprio governo, o superintendente estaria criando embaraços seguidos para impedir o retorno da operação da usina.

Além do licenciamento ambiental, que já foi feito, outro embaraço envolve a exigência de construção de um galpão no local onde funciona a usina. A estrutura, como estaria a exigir o superintendente, deve ser construída pela empresa, mas, ao fim do contrato, ficará para o município.

As dificuldades impostas pelo superintendente já fizeram a empresa CMA, terceirizada que é responsável pela usina, desistir de operá-la, garantem fontes. Com a desistência, o município corre o risco de ficar, pelo menos, mais seis meses sem produzir asfalto e vendo a buraqueira de Marão e Gusmão só aumentar, enquanto é feita nova licitação.

Atualização: em contato com o blog, um servidor do alto escalão da prefeitura informou que o vice prefeito e secretário José Nazal não teve conhecimento antecipado do embargo da Usina, assim como o prefeito. Está, portanto, esclarecida a questão o que isenta o secretário Nazal de qualquer responsabilidade

O QUE PODE ESTAR POR TRÁS DO EMBARGO DA USINA ASFÁLTICA DE ILHÉUS

Na última semana, o blog Agravo levantou a possibilidade de o governo do prefeito Mário Alexandre (PSD) estar sufocando financeiramente a empresa Solar Ambiental, responsável pela coleta de lixo na cidade, para que ela não tenha condições de participar da próxima licitação pra esse serviço (veja aqui). Essa tese, que sequer foi rebatida pelo governo, pode estar em uso também contra a CMA, firma que opera a usina asfáltica do município.

A empresa, contratada durante o governo do ex-prefeito Jabes Ribeiro, vinha fazendo um bom trabalho, com asfalto de qualidade, diminuindo a buraqueira pela cidade. No entanto, está há quase quatro meses parada, depois que a usina foi embargada por ordem do superintendente de meio ambiente, o blogueiro Emílio Gusmão.

O embargo, como bem disse o prefeito Mário Alexandre (relembre aqui), não serviu pra muita coisa, já que estudos realizados na área em que está instalada a usina não constataram danos ambientais. Na entrevista concedida ao radialista Vila Nova, Marão disse ainda que o equipamento voltaria a operar na semana passada, o que não ocorreu.

A tática, supostamente utilizada contra a Solar Ambiental, pode estar por traz do embargo da usina, com o intuito de fragilizar os cofres da empresa responsável pela operação e a impedir de participar da licitação que será feita nos próximos meses, já que é obrigatório comprovar a solidez financeira para concorrer. Com a CMA fora do páreo, ficaria mais fácil o governo emplacar uma empresa amiga.

ILHÉUS: USINA ASFÁLTICA NÃO CONTAMINOU O SOLO

A barbeiragem de Gusmão.

O embargo da usina asfáltica, pela superintendência de Meio Ambiente de Ilhéus, comandada pelo blogueiro Emílio Gusmão, que deixa a cidade sem fornecimento de asfalto desde abril, não passou de barbeiragem.

De acordo com o prefeito Mário Alexandre, em entrevista ao comunicador Vila Nova, nesta quarta, dia 19, um estudo minucioso feito de forma independente não apontou qualquer tipo de poluição por causa da operação da usina, que manuseia material pesado.

Em abril, de forma unilateral, o superintendente Emílio Gusmão utilizou seu blog para afirmar que “a vistoria também verificou a poluição de águas superficiais e a contaminação irreversível do solo, maior dano ambiental registrado na área”. O estudo realizado após o embargo não confirmou esses danos, nem algo que chegasse perto disso.

Da mesma forma, o superintendente/blogueiro levantou a possibilidade de contaminação de lençóis freáticos. De acordo com informações levantadas pelo ILHÉUS EM RESUMO, o estudo sequer apontou a presença de águas subterrâneas naquela região.

Pra finalizar o assunto, Marão afirmou que, ainda nesta semana, a usina voltará a operar, já com a licença ambiental.

O embargo temporário da usina, feito sem o consentimento do prefeito, que estava fora da cidade no período, transformou Ilhéus na cidade dos buracos, confirmando a tese deste blog de que foi um tiro no pé (lembre aqui).

ALÔ MARÃO: OLHA O LAMAÇAL NO VILELA

Lama no Vilela

Alô Marão. Olha como estão os alunos do Colégio Fabio Araripe, no Vilela. 

Pra assistir aula, o pessoal é obrigado a vencer esse desafio aí. Quando chove o problema é o lamaçal que se vê na foto. Quando está seco, a poeira toma tudo.

Há três meses, o prefeito Mário Alexandre deixou que fechassem a usina asfáltica do município com objetivo único de gerar matéria pra Blog e inflar o ego do superintendente de Meio Ambiente, Emilio Gusmão. Agora, a comunidade paga o preço.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia