WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom bahia faculdade de ilheus embasa


abril 2019
D S T Q Q S S
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  


:: ‘UESC’

RELATÓRIO INDICA A UESC COMO 9ª UNIVERSIDADE ESTADUAL BRASILEIRA COM MAIS ARTIGOS CIENTÍFICOS

Da Ascom/Uesc

Uesc

Neste 22 de abril, o campus Professor Soane Nazaré de Andrade, da Universidade Estadual de Santa Cruz, em Ilhéus/Bahia, completa 45 anos de sua criação e comemora a data com uma notícia que reflete a sua importância para o desenvolvimento científico brasileiro: a UESC está entre as nove universidades estaduais do Brasil  com mais artigos científicos publicados, situando-se também como a primeira entre a estaduais da região Nordeste do Brasil  e a 60ª no ranking das 100 universidades e instituto do Brasil com mais artigos científicos.

O número consta no relatório Research in Brazil, disponibilizado pela Clarivate Analytics à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O documento traz o desempenho da pesquisa brasileira em um contexto global entre os anos 2011 e 2016.

Os dados foram obtidos do InCites, plataforma baseada nos documentos (artigos, trabalhos de eventos, livros, patentes, sites e estruturas químicas, compostos e reações) indexados na base de dados multidisciplinar Web of Science – editada pela Clarivate Analytics (anteriormente produzida pela Thompson Reuters).

A reitora Adélia Pinheiro ressalta que “esse bom indicador da UESC é resultado de um conjunto de ações iniciadas com a qualificação e a competência dos professores/pesquisadores aliado ao programa de qualificação de docentes da Universidade que os apoia, do suporte à pesquisa e produção do conhecimento através dos investimentos em bolsas do programa de IC, de revisão e tradução de artigos, como também do pagamento pela instituição das taxas de publicação desses artigos.”

O relatório traz informações sobre as universidades líderes na área da pesquisa no país. Os critérios analisados foram: a quantidade de documentos produzidos, o impacto da citação, artigos no top 1% e 10% dos mais citados no mundo, colaboração com a indústria e organizações internacionais.

O número de citações que uma publicação de pesquisa recebe reflete o impacto que teve em pesquisas posteriores. As publicações científicas citam documentos anteriores para validar uma contribuição intelectual. Portanto, pode-se dizer que uma publicação (ou uma coleção de publicações) com uma contagem de citações mais elevada teve um impacto maior no campo de conhecimento ao qual se relacionou.

Só as públicas produzem no Brasil

O relatório demonstra que, praticamente, não há produção científica em instituições privadas no Brasil. Entre as 20 instituições que mais produziram papers e que mais tiveram impacto estão 15 universidades federais e 5 universidades estaduais.

A Universidade de São Paulo (USP), estadual, lidera a produção quantitativa, enquanto a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), também estadual, é a que a produção tem maior impacto.

O relatório mostra que as universidades públicas produzem artigos científicos altamente citados e que alcançaram boas taxas entre 1% dos papers mais citados do mundo.

PRESO ACUSADO DE AMEAÇAR ATACAR A UESC

Do FRN

Wellingson Monteiro de Oliveira

A Polícia Civil de Ilhéus localizou o autor das postagens do Facebook que foram publicadas nesta quarta-feira, dia 27, com ameaças a UESC, provocando pânico e correria entre a comunidade acadêmica. Trata-se de Wellingson Monteiro de Oliveira, 23 anos, com passagem na delegacia por uso de drogas e, ao ser interrogado, confessou a autoria.

Postagens no facebook.

No depoimento, o homem disse que foi tudo uma brincadeira e que não tinha noção da repercussão que aconteceu. Equipes de Policiais Civis estiveram na residência do indivíduo, porém nada de ilícito foi localizado.

As postagens no facebook forma feitas com o uso do aparelho celular do autor que foi apreendido.

Clique aqui para ler mais.

RUMORES DE ATAQUE À UESC PREOCUPAM ESTUDANTES

Do Pimenta

Torre administrativa da Uesc.

Um rumor de ataque a estudantes e professores da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) instalou clima de tensão e medo no campus da instituição, na Rodovia Ilhéus-Itabuna, nesta manhã de quarta (27). Uma viatura da Polícia Militar e um caminhão da Cavalaria Montada estão no campus.

A tensão aumentou por volta das 9h, quando prints (cópias) de conversas e até áudios começaram a ser compartilhados com maior intensidade em grupos de WhatsApp. Em um deles, um aluno fala que o Restaurante Universitário (RU) seria um dos alvos do suposto criminoso, ao meio-dia.

Por volta das 9h30min, a posição da Uesc em contato feito pelo blog Pimenta era de que a reitora Adélia Pinheiro estava atenta. Porém, o assunto estava sendo tratado com bastante cautela. Já às 9h50min, questionamos a presença de mais de uma viatura no campus.

“A Vigilância informou que não havia alteração [no esquema de segurança]”, informou a assessoria de comunicação ao blog. A instituição reconheceu não ser comum a presença da Cavalaria Montada da PM no campus. O suposto autor da ameaça de ataque seria aluno, conforme investigação inicial.

 

CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS DA POLÍTICA ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL

Por Josimar Ferreira

Implementado em junho de 2017 no âmbito das Universidades Públicas Estaduais da Bahia, o Projeto Estadual de Auxílio Permanência, denominado “Programa Mais Futuro” (Lei nº 13.458), configura uma grande conquista do movimento estudantil baiano e um importante passo dado pelo Estado da Bahia na implementação de políticas públicas que garantam a permanência de estudantes em condições de vulnerabilidade socioeconômica nas Universidades Públicas Estaduais.

O Programa oferece auxílio financeiro a estudantes de graduação presencial por até 2/3 (dois terços) iniciais do período de duração total do curso em que estão regularmente matriculadas/os. Após a conclusão dos 2/3 (dois terços) iniciais, as/os estudantes beneficiárias/os têm a opção e prioridade para ingressar nas vagas de estágio de nível superior ofertadas pela Administração Pública direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo Estadual.

As discussões sobre a minuta desse Projeto de Lei foram aprofundadas durante o II Seminário de Assistência Estudantil das Universidades Estaduais da Bahia (UEBAs), em setembro de 2013, oportunidade em que as e os estudantes presentes puderem discutir coletivamente com seus pares e setores do Governo do Estado uma proposta de Política Estadual de Assistência Estudantil. No entanto, o Projeto de Lei somente foi aprovado em dezembro de 2015 pela Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) sem levar em consideração inúmeras reivindicações apresentadas pelos Diretórios Centrais de Estudantes (DCEs) durante o seminário, ainda sob forte mobilização estudantil e repressão da polícia administrativa.

Diferentemente do que afirma o Governo do Estado, observa-se então que a maneira como foi implementado e vem sendo executado, o Mais Futuro dificilmente tem minimizado as desigualdades sociais nas UEBAs, conforme prevê a Lei. Nos últimos editais, por exemplo, várias/os estudantes ficaram o semestre inteiro desassistidas/os, situações que contribuem para o aumento da taxa de evasão nos cursos de graduação. Levantamento que vem sendo elaborado pelo DCE Livre Carlos Marighella.

Além disso, há de se considerar que a renda de uma pessoa e/ou a vulnerabilidade social é uma condição indeterminada e não previsível, podendo haver alterações ao decorrer do tempo. Desse modo, o acesso ao programa deveria ser em fluxo contínuo, ou seja, as e os estudantes acessem ao Programa a qualquer tempo do curso, não apenas em datas fixadas por meio de editais. Outro aspecto extremamente excludente e meritocrático é a imposição de trancamento de somente duas disciplinas ao longo de todo o curso, tal imposição destoa do objetivo de assistir e permitir que a população estudantil em vulnerabilidade socioeconômica se mantenha em condições favoráveis de conclusão da graduação, desconsiderando os diversos fatores que englobam a realidade das Instituições de Ensino Superior, a exemplo da falta de professores e as especificidades de cada curso, também por que cada Universidade possui um calendário acadêmico que dificilmente segue a mesma dinâmica, bem como cada Campi possui suas singularidades.

Nesse sentido, o Estado não pode assumir uma lógica puramente assistencialista, devendo pensar na formulação de uma Política Estadual de Assistência Estudantil que leve em consideração outros elementos da permanência estudantil, como: a construção, ampliação e manutenção de restaurantes universitários; garantia de uma política de creches e apoio as estudantes mães; construção de residências universitárias e compromisso com a política de moradia estudantil; fomento ao esporte, cultura e lazer no âmbito das universidades estaduais; bem como a criação de núcleos de atendimento biopsicossocial para atender a demanda da comunidade acadêmica.

O caminho a ser seguido é a abertura de canais de diálogo contínuos e efetivos com as entidades de representação estudantil e as Instituições de Ensino, com objetivo de realizar uma avaliação sistemática que possa fomentar a criação de instrumentos de acompanhamento, monitoramento e fiscalização na garantia de diminuição da desigualdade social estrutural presente nas Universidades Públicas Estaduais. Compromisso assumido pelo governador Rui Costa com os DCEs nos encontros do Programa de Governo Participativo (PGP) em 2018, compromisso do qual não poderá se furtar nesse segundo mandato.

O autor Josimar Ferreira é estudante de Licenciatura em Química (UESC), Coordenador Geral do DCE Livre Carlos Marighella e Dirigente Estadual do Coletivo Quilombo.

ADÉLIA PINHEIRO FICA NA UESC ATÉ ABRIL

Do Tabuleiro

Adélia.

A reitora Adélia Maria Carvalho de Melo Pinheiro permanece à frente da gestão da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), até o mês de abril. Somente a partir daí assumirá a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), conforme indicação feita pelo governador da Bahia, Rui Costa, durante o programa Papo Correria, transmitido ao vivo nas redes sociais, segunda-feira (18).

Segundo a professora Adélia Pinheiro, “durante os meses de março e abril estarei me dedicando, como reitora, ao processo de transição, para que o vice-reitor, o professor Evandro Sena Freire assuma a Reitoria, dando continuidade a gestão, na UESC.”

A indicação foi uma escolha pessoal do governador, obedecendo aos critérios estabelecidos por ele para a formação de uma equipe “juntando perfil técnico a alguma noção da política”.

A professora Adélia Pinheiro é reitora da UESC em seu segundo mandato. Graduada em Medicina pela Universidade Federal da Bahia(1987), tem especialização em Medicina Social, mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade Federal da Bahia(1993) e doutorado em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo(2003). Adélia também foi presidente e vice-presidente da Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem).

RUI COSTA CONFIRMA REITORA DA UESC EM SEU SECRETARIADO

Do Pimenta

Adélia deixa Uesc em seu último ano como reitora, após dois mandatos.

O governador Rui Costa confirmou, há pouco, os últimos nomes a compor o seu secretariado neste início de segundo mandato. O gestor baiano terá a reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Adélia Pinheiro, como secretária de Tecnologia, Ciência e Inovação.

Adélia está no final do segundo mandato à frente da reitoria da Uesc. Evandro Freire assumirá o comando da universidade. “Vai fazer a transição para deixar a reitoria e vem para a Secretaria”, disse ele.

Ainda um nome do sul da Bahia, o deputado federal Josias Gomes será mesmo o titular da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). Cibele Carvalho foi mantida na Secretaria de Relações Institucionais (Serin) e Carlos Martins comandará a Pasta da Justiça.

REITORA DA UESC É DADA COMO CERTA NO SECRETARIADO DE RUI

Do Pimenta

Adélia deixa Uesc em seu último ano como reitora, após dois mandatos.

O deputado federal Josias Gomes e a reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) estão entre os nomes praticamente definidos para o secretariado do Governo Rui Costa. De acordo com o site Política Livre, Adélia aceitou o convite para a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e Josias vai para a Pasta de Desenvolvimento Rural (SDR).

Os demais nomes das pastas ainda a serem confirmadas são Cibele Carvalho na Secretaria de Relações Institucionais (Serin) e Carlos Martins na Pasta da Justiça. Um dos nomes mais comemorados no novo secretariado é o da reitora da Uesc.

Adélia Pinheiro chegará como nome técnico e da cota pessoal do governador Rui Costa. Ela foi convidada para se filiar ao PSB e ao PT. Neste processo de transição, caso selado, Adélia terá que, claro, abrir mão do cargo de reitora da universidade estadual sul-baiana. Ela também foi cogitada na Educação, secretaria assumida pelo também professor Jerônimo Rodrigues, ex-coordenador da campanha à reeleição de Rui Costa e ex-titular da SDR.

NA BAHIA, UESC CONTINUA LIDERANDO NO ÍNDICE GERAL DE CURSOS

Da Ascom/Uesc

Uesc

A Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) mais uma vez é a melhor avaliada entre as públicas da Bahia no Índice Geral de Cursos (IGC), divulgado pelo Ministério da Educação nesta terça-feira (18). A UESC alcançou 4 pontos e, desta vez, igualando-se a UFBA, que sempre esteve a frente em avaliações anteriores.

O IGC, assim como os demais indicadores do Sinaes, classifica as instituições, cursos e estudantes universitários em uma escala de 1 a 5, sendo que a nota máxima é 5 e as notas 1 e 2 são consideradas “insuficientes”.

O índice é divulgado anualmente, mas é composto pela média de outros indicadores aplicados nos três anos anteriores. Comparando com o último ciclo trienal, aumentou o número de instituições com notas 4 e 5 e caiu o número delas que têm conceito 2 e 3. Dos 33 cursos de graduação da UESC, 24 deles – licenciaturas e bacharelados foram avaliados.

Os dados são referentes a 2017 e foram divulgados pelo Ministério da Educação e pelo Inep em coletiva de imprensa nesta terça-feira, 18 de dezembro, na sede do Instituto, em Brasília (DF). O MEC foi representado pelo secretário executivo, Henrique Sartori. Cabe ao Ministério da Educação, por meio da Secretaria de Regulação do Educação Superior (Seres), usar os dados para regulamentação dos cursos e IES. Pelo Inep, participaram a presidente, Maria Inês Fini; a diretora de Avaliação da Educação Superior, Mariângela Abrão, e o coordenador geral de Controle de Qualidade da Educação Superior do Inep, Renato Augusto do Santos. O Diário Oficial da União (DOU) publicou os conceitos do CPC e IGC com os códigos dos cursos e das IES respectivamente. No Portal do Inep estão disponíveis as tabelas com os resultados dos dois conceitos.

GUIA DO ESTUDANTE DESTACA CURSOS DA UESC

Da Ascom/Uesc

Uesc

Uma pesquisa nacional do Guia do Estudante (GE) para a edição de 2019 classificou vários cursos de graduação da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) neste ano.  A GE é uma publicação da Editora Abril, voltada para estudantes e profissionais da educação. A edição com os dados sobre a UESC já está nas bancas e disponível também no site da revistawww.guiadoestudante.abril.com.br.

O Curso de Bacharelado em Línguas Estrangeiras Aplicadas às Negociações Internacionais Lea-In, da UESC, implantado através de uma parceria com a Universidade de La Rochelle, na França, completa 15 anos de atuação e recebeu as quatro estrelas do Guia do Estudante.  O curso de Biomedicina, que teve nota 5 no Enade manteve as suas 4 estrelas no Guia. O curso de Enfermagem também foi estrelado na avaliação de cursos superiores realizada pelo Guia do Estudante.

Por sua vez o curso de Comunicação Social – Rádio e TV (Rádio, TV e Internet), que teve elevadas de três para quatro estrelas, reflete os esforços de estudantes, professores, técnicos e gestores de projetos de pesquisa, ensino e extensão para oferecer uma formação de qualidade, afinada com as necessidades acadêmicas e de mercado, bem como comprometida com a construção de um sujeito integral, consciente de seus direitos e deveres como cidadão e como profissional ético.

A avaliação é feita por mais de três mil professores de todo o Brasil, mediante preenchimento de questionários respondidos pelos coordenadores dos cursos, de forma prévia e voluntária. É possível analisar no máximo 35 cursos da região, em que o profissional reside, desde que não tenha vínculo com a instituição.

CONGRESSO INTERNACIONAL DE GESTÃO, CONTROLE E CONTRATAÇÃO PÚBLICA SUSTENTÁVEL COMEÇA SEGUNDA-FEIRA NA UESC

Da Ascom/Uesc

Uesc

O I Congresso Internacional de Gestão, Controle e Contratação Pública Sustentável, promovido pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), terá inicio às 14h30min no auditório Paulo Souto. O evento, realizado pelo Escritório Modelo de Contabilidade do Departamento de Ciências Administrativas e Contábeis (DCAC) prosseguirá até  quarta-feira (14). O Congresso tem como público alvo estudantes, pesquisadores e profissionais das áreas de Administração, Ciências Contábeis, Direito e afins, além de empresários e do público em geral.

Segundo o diretor do DCAC professor/Dr Rozilton Sales Ribeiro “antenados com as crises política, ética, moral, econômica, social e ambiental vivenciadas pela sociedade como um todo, entendemos ser o momento propício para uma reflexão aprofundada sobre a qualidade e controle dos gastos públicos, a racionalidade dos processos de trabalho e a eficiência na prestação de serviços e no desenvolvimento sustentável”.

Ela explica “que diante da escassez de recursos, o gestor público e os estudiosos dessas áreas comprometidos com o país precisam mobilizar esforços humanos, profissionais, tecnológicos e administrativos para inovar na forma de executar suas atividades, tornando a administração mais eficiente e confiável na prestação desses serviços. Vale dizer que, o momento atual é de empregar todos os meios necessários para fazer mais e melhor com menos”.

O tema central do evento é a discussão da aplicação de ferramentas de gestão e controle a exemplo de disclosure, compliance, governança corporativa, controle do gasto público e desenvolvimento sustentável em todas as suas vertentes, envolvendo as diversas áreas do conhecimento notadamente a Administração, Ciências Contábeis e Direito.

Para discussão desses temas, o Congresso terá a participação em palestras, conferências e minicursos ministrados por professores com habilidades e experiências, quer no plano nacional como também no internacional, cujo objetivo primordial é evidenciar que essas ferramentas, usadas como forma estratégica, tem potencial para auxiliar o país e as empresas na superação dos seus problemas e que a introdução de uma gestão competente e transparente é a melhor forma para nortear  a tomada de decisões.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia