WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
embasa secom ponte ilheus secom bahia solidaria policlinica itabuna secom bahia


outubro 2020
D S T Q Q S S
« set    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


:: ‘secretaria’

“VAMOS AVANÇAR”, PROMETE SECRETÁRIA DE SAÚDE DE ILHÉUS

Da Secom/Ilhéus

Secretária

Ao conceder hoje (7) pela manhã de uma entrevista na Ilhéus FM, com o apresentador Vila Nova, a secretária municipal da Saúde, Elizângela Oliveira anunciou que na próxima sexta-feira (10) serão retomados os processos licitatórios para a recuperação de seis postos de saúde que estão com obras paralisadas desde o governo passado.  Outras unidades da Sesau serão incluídas no programa de recuperação de prédios públicos, através de uma iniciativa, com recursos próprios do tesouro municipal.

“Infelizmente para se falar da saúde pública em Ilhéus é preciso olhar para o retrovisor. Encontramos uma saúde devastada onde todos os programas estavam em bloqueio por falta de prestação de contas do governo anterior”, revelou a entrevistada. Elizângela afirmou que até programas como o “Mais Médicos” foram prejudicados, com a redução de seis dos dez médicos que atendiam a população carente, por descumprimento da exigência de alimentar com as informações o sistema de controle do Ministério da Saúde, causando um bloqueio desde 2015. Lembrou que o Samu recebeu duas ambulâncias para ampliação de frota, mas a gestão passada apenas substituiu os veículos antigos, ao invés de ampliar o serviço. O fato gerou mais uma penalidade ao município que, somente agora, está conseguindo reorganizar a situação para a renovação da frota.

As providências para pôr ordem na gestão da saúde não param por aí. A secretária informou que recentemente conseguiu renegociar uma dívida de quase 500 mil reais – maior parte herdada da gestão anterior –  com a operadora de telefonia que fornece internet. O serviço, só agora restabelecido, vinha prejudicando a marcação de consultas e exames online nas unidades de saúde. Elizângela disse ainda que é fundamental o entendimento do servidor sobre a relevância do seu papel na prestação de serviço para a população. “Numa fiscalização de rotina a um posto de saúde vimos um aviso afixado na parede: Estamos sem internet, informava. No entanto, para nossa surpresa, verificamos que na sala de marcação de consultas o computador e o serviço de internet estavam normais, porém a responsável estava ausente do local de trabalho. Esse tipo de negligência só contribui para piorar o quadro da saúde em Ilhéus”, afirmou.

A secretária considera pertinentes as críticas que a Sesau vem recebendo, mas assegura que os trabalhos vão apresentar resultados e, aos poucos, estas críticas irão diminuir. “Um paciente que estava na UTI quando apresenta sinais de melhora vai direto pra casa? Claro que não. Primeiro vai para semi-intensiva, depois enfermaria e a partir daí pra casa. Esta é a mesma evolução para conquistarmos uma saúde de qualidade. Não adianta abrir unidades e dois meses depois fechar por falta de profissional ou de manutenção. É preciso estrutura para permanecer em pleno funcionamento. É esse o planejamento que está sendo feito”, garantiu Elizângela.

A secretária também apresentou o que considera avanços importantes que muito em breve serão sentidos pela população, a exemplo da ampliação na cobertura da Atenção Básica que subiu de 26 para 39 por cento. “Temos quase 30 licitações com contratos assinados, com restabelecimento de fornecimento de materiais indispensáveis  para o atendimento à população”, finalizou a secretária.

ILHÉUS: FUNCIONÁRIOS DO SAMU USAM FOGO À LENHA NA FALTA DE GÁS

Fogo à lenha

Há pouco mais de três meses, a imprensa estadual noticiou, depois de várias denúncias locais, o fechamento do Samu de Ilhéus. O serviço ficou dias sem sequer uma ambulância para atendimento aos quase 200 mil ilheenses (lembre aqui).

Passados esses meses, o caos que toma conta do Samu  não diminuiu. Recebemos, pelo whatsapp, imagens que mostram o que seria um funcionário fazendo seu almoço num fogo a lenha, no chão do prédio onde funciona o serviço, na Avenida Litorânea Norte.

Além do gás de cozinha na copa, a unidade também não estaria com fornecimento regular de água mineral para os funcionários, que trabalham em regime de plantão, por vezes mais de 12 horas por dia.

A falta de insumos estaria afetando também o abastecimento de medicamentos nas ambulâncias e, mesmo após sucessivas denúncias (veja aqui), um dos veículos de socorro segue rodando com a porta traseira fechada com um pedaço de pano.

O ILHÉUS EM RESUMO procurou a secretária de Saúde do Município, Elizângela Oliveira, que afirmou estar em reunião e que a pessoa responsável pelo setor de Média e Alta Complexidade da pasta daria um posicionamento sobre o caso. No entanto, até o fechamento desta nota, não houve retorno.

 



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia