WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
policlinica itabuna secom bahia teatro itabuna


outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  


:: ‘presídio’

DUPLA É PRESA AO FAZER “DELIVERY” DE COROTE PRA DENTRO DO PRESÍDIO DE ILHÉUS

Do FRN

Presidio

Por volta das 16h de sábado, 11, na área externa do Presídio Ariston Cardoso, dois elementos em uma moto Fan 150cc, marca Honda, cor vermelha, placa policial PJZ-3607, foram surpreendidos pelas guarnições do PETO 70, 7017 e 7011, quando se preparavam para arremessar embalagem de Corote, contendo bebidas alcoólicas e uma substância aparentemente sendo maconha.

Os indivíduos Paulo da Silva Santos e Jonathan de Jesus Santos foram conduzidos e apresentados para o plantão da 7a Coorpin, enquanto a moto foi levada à delegacia.

CONDENADA QUADRILHA QUE COMANDAVA O CRIME DE DENTRO DO PRESÍDIO DE ILHÉUS

Do Agravo

Presidio

Nove pessoas foram condenadas pela Justiça por integrarem organização criminosa, conhecida como “Raio-A”, especializada na prática de tráfico de drogas e responsável por diversos homicídios e roubos cometidos na cidade de Ilhéus e região. Segundo denúncia oferecida pelo Ministério Público estadual, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Ilhéus, as ações criminosas eram comandadas de dentro do Conjunto Penal de Serrinha, onde estavam custodiados os líderes da facção, Márcio Arandiba dos Santos, conhecido como “Tila”, hoje preso em Jequié, e Adailton Soares Sampaio, apelidado de “Dai”, morto em outubro do ano passado e acusado de ser o mandante da morte do Policial Militar Tyrone. (Clique aqui para ler )

Márcio Arandiba foi condenado a 16 anos, nove meses e 25 dias de prisão. A sentença foi proferida pela juíza Emanuele Vita Armede. A denúncia do MP decorreu de investigações realizadas pela “Operação Griffos” entre os meses de maio de 2015 e fevereiro de 2016. Além de Márcio Arandiba, foram condenados por organização criminosa e tráfico de drogas: Reilane Souza Rogério, ex-companheira de Adailton Sampaio; José Ronie Dia dos Santos; Marina de Oliveira Soares; Alan Souza Santos; Tiago Carlos dos Santos; Danilo da Silva Sales e Leandro Nascimento de Brito. Marcela Moreira Lima foi condenada por crime de organização criminosa, e Fabiano Souza Pereira e Jeferson Morais Silva por crime de tráfico de drogas.

Conforme a denúncia do MP, as ações da facção criminosa eram comandadas por seus líderes por meio de cartas e ordens verbais que eram repassadas aos demais integrantes da organização pelas mãos de Reilane Rogério. As investigações contaram com a realização de escutas telefônicas, autorizadas pela Justiça, que interceptaram conversas sobre o comércio de drogas e armas, recolhimentos dos pagamentos, além de planejamento de assaltos e homicídios, com menções à liderança de Márcio Arandiba e Adaiton Sampaio.

APÓS REBELIÃO, PRESOS EM ILHÉUS SERÃO TRANSFERIDOS PARA BARREIRAS

Do Pimenta

Presídio

A Corregedoria Geral da Justiça da Bahia determinou a transferência de internos que cumprem pena em regime fechado dos presídios de Itabuna e de Ilhéus para cumprir pena no Conjunto Penal de Barreiras, no oeste do estado.

A decisão da desembargadora Lisbete Maria Teixeira Almeida César Santos foi publicada no Diário do Poder Judiciário da última segunda-feira (16).

A corregedora-geral tomou a decisão, conforme o provimento CGJ 04/2018, devido à rebelião ocorrida na última quinta (12) no Presídio Ariston Cardoso, em Ilhéus, além da superlotação tanto na unidade ilheense como no Conjunto Penal de Itabuna.

A desembargadora também informa, no provimento, ter decidido pela transferência de sentenciados por causa da interdição de várias delegacias nas comarcas atendidas pelos presídios da região cacaueira.

Segundo o provimento, sentenciados em regime fechado oriundos dos municípios de Itacaré, Canavieiras, Una, Ilhéus e Uruçuca que estão nos presídios de Itabuna e Ilhéus serão transferidos para Barreiras. A unidade de Barreiras fica a cerca de 890 quilômetros dos presídios sul-baianos.

ILHÉUS: JUSTIÇA INTERDITA PARCIALMENTE PRESIDIO ARISTON CARDOSO

Do Políticos do Sul da Bahia

Presídio

A Justiça determinou, nesta terça-feira (27), a interdição parcial do Presídio Ariston Cardoso, em Ilhéus, por conta da falta de estrutura e superlotação.

A decisão da Justiça acolheu o pedido feito pela Defensoria Pública do Estado da Bahia (DPE/BA) e foi assinada pelo juiz da 1ª Vara da fazenda pública, Alex Miranda.

Na decisão, o juiz interditou o módulo I, com isso todos os presos serão que deixar o local. O magistrado justificou a decisão, alegando péssimas condições, agravadas com as chuvas de verão.

Vale lembrar que sem setembro de 2017, o blog publicou que a justiça poderia interditar o presidio.

DEFENSORIA PEDE INTERDIÇÃO DE GALERIA DO PRESÍDIO DE ILHÉUS

Do Agravo

Presidio

No dia 11 deste mês a Defensoria Pública do Estado da Bahia – DPE/BA em Ilhéus tomou conhecimento de um desabamento ocorrido na Galeria B, do Módulo I, do Presídio Ariston Cardoso, que gerou lesões corporais em 2 internos. Diante do ocorrido, a DPE/BA oficiou ao diretor do presídio, recomendando a retirada de todos os internos custodiados no citado Módulo.

Em 2014 a Defensoria Pública ajuizou uma Ação Civil Pública – ACP, pedindo a interdição e demolição da unidade prisional em razão do risco concreto e iminente de desabamento, sem qualquer decisão do Poder Judiciário até a presente data. Entre os problemas encontrados que consubstanciaram a ACP à época, destacam-se: a superlotação, insalubridade e péssima situação sanitária, problemas estruturais e descumprimento dos padrões de segurança contra incêndio, problemas na rede de iluminação entre outras irregularidades.

O autor da ação, defensor público Leonardo Couto Salles explicou que em 2017 ocorreu uma audiência na tentativa de conciliação, que foi prejudicada em virtude do Estado não mandar representante. Posteriormente o Estado protocolou uma petição pedindo a suspensão do processo, sob a alegação de que as intervenções somente poderão ser realizadas após o recebimento de recursos do Fundo Penitenciário do Estado FUNPEN/BA, cujas medidas administrativas para liberação já estão sendo adotadas há algum tempo junto ao DEPEN/MJSP.

“O presídio está em funcionamento, pois serve para custódia de presos provisórios da comarca de Ilhéus e região. A situação do Módulo I, onde ainda continuam custodiados cerca de 80 detentos, está cada dia pior. O ofício foi encaminhado ao diretor do presídio no dia, 16, estamos aguardando a resposta”, concluiu o defensor público.

PRESÍDIO DE ILHÉUS PERTO DE SER FECHADO

Do Políticos do Sul da Bahia

Fachada do presidio

Nesta semana a corregedoria do Tribunal de Justiça da Bahia esteve vistoriando o presídio Ariston Cardoso, em Ilhéus. Será elaborado um parecer sobre a vistoria, mas segundo informações, a avaliação é que o local está sem condição para continuar funcionando.

Vale lembrar que o Ministério Público e da Defensoria acionaram a justiça com pedido para interditar o modulo 1 do presidio Ariston Cardoso. No mês passado foi realizada uma audiência de conciliação.

O juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública de Ilhéus, Alex Vinicius Campos Miranda, notificou a secretaria de administração penitenciaria do estado, procuradoria jurídica da prefeitura de Ilhéus, comissão de direitos humanos da assembleia legislativa, porém, o governo do estado não mandou representante.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia