WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
embasa alba


janeiro 2018
D S T Q Q S S
« dez    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  


:: ‘jabes’

JABES: “CANDIDATO NATURAL EM 2020 É CACÁ”

Da Assessoria do Partido Progessista 

Jabes e Cacá, sucessor natural do “jabismo” em Ilhéus.

O ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, participou na manhã desta segunda-feira, 18, do programa Alerta Geral com Gil Gomes. Na ocasião, o progressista esclareceu a informação veiculada no Diário Bahia sobre o seu retorno ao comando do executivo municipal em 2020. Para o prefeito, houve um equívoco na interpretação de sua fala.

Focado no cuidado com sua saúde, Jabes garantiu que não pretende disputar as eleições. “Eu quero deixar claro que eu só tenho um objetivo nesse momento, cuidar da minha saúde. Não pretendo disputar as eleições. Eu já fui quatro vezes prefeito e já dei a minha contribuição”. O ex-prefeito destacou o nome do companheiro, Cacá Colchões, como sucessor natural para disputar as eleições municipais em 2020.

Na oportunidade, Jabes lembrou a luta, durante sua gestão, para que o sonho do Hospital Costa do Cacau saísse do papel. Parabenizou o empenho do Governador Rui Costa pelo trabalho desenvolvido na região e discutiu a questão do fechamento do Hospital Regional Luiz Viana Filho.

Para o ex-prefeito, a cidade tem uma atenção básica ineficiente e a solução seria manter os serviços de urgência e emergência paralelamente à construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), anunciada pelo Governador na última sexta-feira, e as reformas dos postos de saúde. “O Hospital Costa do Cacau é um avanço extraordinário na medicina de ponta e cirurgias, mas é preciso deixar claro que isso não impede que a gente discuta a questão do Regional. Não podemos aceitar o fechamento do Hospital Regional, antes que Ilhéus ofereça condições para que isso aconteça”, ressaltou Jabes.

MARÃO ALFINETA JABES: “NUNCA MOREI EM SALVADOR”

Do Diário Bahia

Mário Alexandre (Foto: Evellin Portugal)

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre (PSD), fez rasgados elogios à estrutura do Hospital Regional Costa do Cacau, a ser inaugurado nesta tarde, e vibrou com a nova ponte Ilhéus/Pontal, prestes a ser inaugurada. Em alguns momentos, pareceu quase o “pai da criança” – ou um empenhado padrasto. Mas quando o assunto é o ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP), antecessor dele, o gestor dá alfinetadas – embora numa linha bem diplomática. Marão, como é conhecido, conversou com o Diário Bahia na manhã desta sexta-feira (15), durante visita ao referido hospital, juntamente com o governador Rui Costa e outros prefeitos.

 Como recebe a inauguração de um hospital deste porte em Ilhéus?

É um grande dia para a região, não só para Ilhéus. Um equipamento de saúde dessa magnitude, com estrutura física, aparelhos de ponta. Ficamos extremamente felizes; digno do atendimento do nosso povo de Ilhéus e da região. Faz parte da história da reconstrução.

 Todo prefeito costuma mencionar a chamada herança maldita deixada pelo antecessor. Como o senhor avalia esse início e o que encontrou ao assumir a Prefeitura de Ilhéus?

Todo mundo sabe que qualquer prefeito deixa algum resto a pagar. Eu não falo herança maldita, porque gosto de falar palavras positivas. Não é uma herança bendita, mas deixou dívidas. Não vou ficar aqui chorando pelo leite derramado. Tenho é que recuperar o que ele deixou de ruim; o que deixou de bom eu devo continuar. Pouco, não é? Foi muita cosa ruim e pouquíssima coisa boa. Mas o que deixou de bom eu tenho que levar.

“Uma luta nossa”

Eu tenho uma vantagem: moro em Ilhéus, dialogo constantemente com o povo de Ilhéus; nunca morei em Salvador. Realmente, eu tenho um trabalho árduo. Mas com fé, esperança, dialogando com o povo, está aí a demonstração. Foram 10 anos de uma luta nossa, discutindo com o governador para que a gente possa inaugurar, e não só projetar. É como a ponte Ilhéus/Pontal. Estou lá todo dia e não vai parar. Eu vou inaugurar junto com o governador. Tenho certeza disso, nem que a gente tenha que arcar com algumas despesas, para dar esse outro presente para Ilhéus e para a região.

JABES PLANEJA RETORNO EM 2020

Do Diário Bahia

Jabes. Foto Diário Bahia

O ex-prefeito Jabes Ribeiro falou há pouco com o Diário Bahia que torce para que o atual governo faça o melhor e deixou claro que pretende voltar em 2020. “Torço para que esse governo dê certo por uma razão: Como nós vamos voltar, quero receber uma cidade organizada, melhor, como nós deixamos”.

Ele detalhou que deixou o município com Cauc (Sistema Auxiliar de Informações para Transferências) resolvido, salários e décimo terceiro pagos.

GRUPO JÁ ENSAIA O “VOLTA, JABES”

Jabes.

Um grupo, formado por empresários, servidores públicos, ex-vereadores e artistas de Ilhéus tem realizado reuniões periódicas, as quais chamam de confraria. Na pauta, praticamente só falam de política e fazem uma avaliação tímida da gestão do prefeito Mário Alexandre.

Quem participa dos encontros, conta que uma parte dos “confrades” já ensaiam o coro de “volta, Jabes” como uma solução para a morosidade da atual gestão. O ex-prefeito, no entanto, já afirmou, inúmeras vezes, que não tem a intenção de concorrer á prefeitura de Ilhéus novamente.

JABES NEGA DEBANDADA DO PP PARA A BASE DE ACM NETO

Do Bahia Notícias

Jabes.

O secretário-geral do PP na Bahia, Jabes Ribeiro, negou que existam articulações que possam eventualmente deslocar o partido da base aliada do governador Rui Costa (PT) para o arco de alianças do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), tendo em vista as eleições de 2018 (veja aqui). “Estamos tranquilos. Estamos trabalhando para consolidar a reeleição de Rui e João Leão. Nosso esforço é para ampliar a bancada federal e a bancada estadual”, assegurou o ex-prefeito de Ilhéus. A hipótese de uma intervenção no PP nacional no diretório estadual, diante das negociações para que o PP assumisse o Ministério das Cidades com Alexandre Baldy, também foi rechaçada por Ribeiro.

“Nós estamos absolutamente alinhados com a Executiva nacional, com o presidente Ciro Nogueira. Todas as decisões estão totalmente alinhadas. Se não há possibilidade de intervenção, imagina uma articulação do Rodrigo Maia, por mais que seja uma figura importante no cenário nacional, do DEM? O presidente Ciro Nogueira tem uma aliança com o PT no estado dele. As alianças estaduais obedecem as peculiaridades de cada estado. O PP tem o vice-governador da Bahia. Temos uma aliança com o governador Rui Costa, como tínhamos com o governador Jaques Wagner”, ponderou o secretário-geral da legenda, que relatou falar em nome dele e também do vice-governador, João Leão, que preside o PP na Bahia.

“O partido tem uma aliança com o governo [Michel] Temer, mas isso não interfere em nada no estado. O caminho natural é apoiar a reeleição de Rui, com João Leão como vice”, assegurou Ribeiro.

COSME ARAÚJO NÃO DESCARTA ALIANÇA COM JABES

Do Políticos do Sul da Bahia

Cosme

No último sábado no programa Resenha da Cidade, na Rádio Nacional de Itabuna, o ex-vereador de Ilhéus, Cosme Araújo (PDT), declarou que não está descartada uma possível composição com o ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP).

“A Política é como nuvem. Você olha e ela esta de um jeito. Olha de novo e ela já mudou. Posso falar que não rejeito apoio de ninguém e não está descartada a possibilidade de dividir o palanque com o ex prefeito”, declarou.

MARÃO GASTA MAIS QUE JABES COM CONTRATADOS

Do Ilhéus.Net

Marão não mudou nada. Piorou

O Ministério Público do Trabalho denunciou o Prefeito Mário Alexandre (PSD) e o Secretário de Administração por não solucionar a questão da substituição dos contratados pelos concursados. De acordo com o MPT, a despeito da conclusão do concurso público, e do início da execução das contratações, a solução definitiva estava longe do fim. Havia a previsão de encerramento dos contratos dos trabalhadores temporários até o fim da gestão do governo Jabes, ou seja, até 31 de dezembro de 2016, mas isto não ocorreu, como todos esperavam.

Ainda de acordo com o MPT, surgiram novas denúncias, principalmente a de um advogado ilheense que questionou uma portaria de 04/01/2017 (ANEXADO na postagem) que desviava de função na cara dura uma guarda municipal para a função de assistente administrativo, que na qual segundo o MPT, a Prefeitura de Ilhéus há 22 aprovados para esta função. 

O MPT também constatou que a folha dos servidores temporários ultrapassa os 750 mil, e ainda detectou fatos, onde o Município Réu tentou mascarar a função do temporário nominando-o como Técnico/Auxiliar da Área Social e Desporto, em verdade, quando se consulta o sítio do Portal da Transferência verifica-se que suas reais funções são de “agentes sociais”, “orientadores sociais”, “assistentes sociais”, “cuidadores”, “educadores”, “auxiliares administrativos” e “digitadores”.

Sendo assim concluiu preliminarmente o MPT:

I. O quadro total de servidores temporários hoje é ainda maior do que o plantel de candidatos aprovados e ainda não convocados!

II. Os temporários estão ainda mais presentes na Administração Pública da atual gestão do que a na gestão anterior.

III. A verba pública destinada a pagar os salários dos temporários é volumosa, beirando a 800 mil reais por mês, o que denota que não falta dinheiro em caixa público para pagamento de servidores, e torna ainda mais injustificada a não-contratação dos candidatos aprovados.

Na última sexta, noticiamos que o Ministério Público havia entrado com ação judicial para obrigar o prefeito a substituir contratados por concursados. Lembre aqui.

MAIS DE 200 CONCESSÕES DE TÁXI PODEM SER CASSADAS EM ILHÉUS

Caçada judicial pode levar taxistas a uma guerra interna pra não perder seus alvarás.

Caso a justiça siga tomando por base a lei nº 63/2010 para decidir questões relativas aos alvarás de táxi em Ilhéus terá de determinar a suspensão de pelo menos mais 212 concessões.

É que, na última segunda, dia 30, a 1ª Vara da Fazenda Pública, atendendo a pedido do Sindicato dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários de Ilhéus, decidiu, em caráter provisório e baseada na lei, suspender as 24 licenças pra exploração desse serviço que foram dadas no último mês da gestão anterior.

O texto da lei foi criado pelo então presidente da câmara, Jailson Nascimento, que atualmente comanda o sindicato. No entanto, a matéria não foi sancionada pelo prefeito à época, Newton Lima. Mesmo assim, foi publicada no diário oficial do legislativo ilheense e usada para embasar o pedido de cassação dos alvarás.

Vigente ou não, a lei exige, no caput do artigo sexto, estudo de viabilidade econômica pra liberação de novos alvarás. Segundo o sindicato que pediu a suspensão, não houve levantamento nesse sentido.

No parágrafo primeiro do mesmo artigo, a lei é clara ao afirmar que “deverá ser considerado o parâmetro de um táxi para cada 950 habitantes do município, respeitando os dados fornecidos pelo IBGE”.

O último censo do IBGE, de 2010, indica que a população ilheense é de 184.236 habitantes. Dessa forma, só deveriam existir 194 táxis na cidade. Hoje, somando os 24 alvarás concedidos na gestão anterior, o número chega a 406.

E o cenário pode ficar pior. Como a população ilheense encolhe a cada ano, o IBGE estima que, em 2016, o município contava com 178.210 habitantes. Esse número, pela lei de Jailson Nascimento, permite só a existência de 187 táxis e, claro, diminuiria ano após ano.

A caçada judicial em que se meteu o sindicato comandado pelo ex-vereador Jailson Nascimento pode levar a categoria a uma guerra interna. Caso a justiça leve a cabo a lei, qual será o critério usado pra escolher os taxistas que vão perder suas licenças?

JUSTIÇA SUSPENDE ALVARÁS DE TÁXI LIBERADOS NO GOVERNO JABES

Do Tabuleiro 

O Juízo da 1ª Vara da Fazenda Pública, da Comarca de Ilhéus, suspendeu os efeitos do Decreto Municipal nº 75, de 16 de dezembro de 2016 da Prefeitura Municipal de Ilhéus, sem a liberação de novos alvarás, por decisão judicial liminar publicada nesta segunda-feira, (29).

Provocado pelo Sindicato dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários de Ilhéus, o Judiciário entendeu que o Decreto nº 75 publicado na gestão do ex-Prefeito Jabes Ribeiro – apontam como ilegal e abusivo, o aumento da frota de táxis, sendo possível ser autorizada após a devida comprovação do estudo de impacto de viabilidade técnica e econômica, sob o risco de tornar a própria atividade inviável, ou seja, muita oferta e pouca demanda.

O decreto em questão foi para criação de quatro praças de Táxi. A praça 22 fica no condomínio Morada do Porto. A segunda, a praça 23, funcionará nos condomínios Sol e Mar I e II. As outras duas praças criadas pelo decreto, 24 e 25, ficarão na Central de Abastecimento do Malhado e na Praça Castro Alves, na Avenida Soares Lopes.

O decreto também aumentou de 23 para 30 o número de táxis no Aeroporto Jorge Amado. Nesse caso, segundo o governo, o aumento atendeu solicitação da Infraero.

No total, a prefeitura emitiu vinte e quatro novos alvarás. 

EX-PREFEITO JABES PEDE DESCULPAS POR SITUAÇÃO DE ESCOLA MOSTRADA NO FANTÁSTICO

A vergonha.

O ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, se posicionou sobre a situação da escola municipal de Piaçaveira, no distrito rural de Japu. A história foi mostrada no programa Fantástico e causou revolta nos ilheenses. Há cerca de dez dias, quando a matéria foi ao ar, defendemos em editorial que os ilheenses deviam desculpas àqueles estudantes (lembre aqui).

Nota Pública

Amigas e Amigos de Ilhéus.

Como é do conhecimento de todos, estou dedicado inteiramente ao tratamento para recuperação de minha saúde.

Tenho acompanhado, pelo noticiário, os últimos acontecimentos ligados à nossa cidade.

Vi, com tristeza, o do programa Fantástico e também fiquei indignado com a situação física da escola de Piaçaveira, na área rural. As explicações que me deram é que se tratava de imóvel particular e, portanto, a Prefeitura não poderia fazer investimentos.

A verdade é que eu não tinha conhecimento pleno dessa realidade. Mas isso não é suficiente. E aqui peço sinceras desculpas em nome do governo pela falha.

Essa triste realidade se arrasta há anos, perpassando várias administrações. Quero crer que o governo anterior ao nosso, que tinha como vice-prefeito Mário Alexandre e José Nazal como secretário, também não tinha conhecimento dessa indignidade. Mesmo agora, é razoável que o atual governo não soubesse da gravidade, pois, se assim fosse, não autorizaria o início do ano letivo no local.

Nossa administração, nos últimos quatro anos, reformou ou ampliou quase cem unidades escolares, na sede e no interior. A Escola do Salobrinho, por exemplo, que construímos com recursos próprios, possui 12 salas de aula, salas de diretoria, coordenação, secretaria, professores, almoxarifado, biblioteca, auditório, laboratório de informática, grêmio estudantil, cozinha, refeitório e pátio coberto.

Instalamos aparelhos de ar condicionado no IME central e, no plano pedagógico, recuperamos e atingimos o índice do IDEB – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – para o Ensino Fundamental. Sempre atuamos com atenção prioritária à área da Educação.

Sei que há muito para ser feito. Como cidadão ilheense, espero que o atual governo – que recebeu a Prefeitura em melhores condições das que recebi em 2013 – possa avançar em benefício da nossa gente e, em especial, da juventude.

Jabes Ribeiro.

GOVERNO MARÃO APONTA IRREGULARIDADES  NA SELEÇÃO PRO MINHA CASA MINHA VIDA

Do Agravo

NOTA PÚBLICA

Prefeitura de Ilhéus 

Denúncias chegadas, nos últimos meses, à direção da Caixa e à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SDS) apontam para inúmeras irregularidades na lista de beneficiados pelo Programa Minha Casa, Minha Vida, anunciada ano passado, durante a gestão municipal que se encerrou em dezembro de 2016, envolvendo os ex titulares da SDS. Pessoas que estavam fora do perfil estabelecido para integrar o programa – destinado às famílias de baixa renda – foram beneficiadas por um esquema fraudulento colocado em prática às vésperas da eleição municipal.

Na lista, agora questionada, apareceram cidadãos e cidadãs que já possuem residência, outros que são proprietários de comércio, servidores públicos e parentes de cargos de confiança da gestão anterior. Entre os beneficiados estava a esposa de Kácio Brandão, que sucedeu o ex secretário Jamil Ocké, no comando da secretaria, ambos investigados. Outros inúmeros servidores comissionados com salários acima do permitido para se ter direito ao benefício, foram contemplados com um imóvel.

Há um caso estarrecedor: uma moradora contemplada cedeu o imóvel para a ocupação de um parente por esta residir na Suíça. Há outros como, por exemplo, cadeirante ocupando apartamento no quarto andar, quando se tem unidades disponíveis no térreo. Já outro comprova que, durante a doação de um terreno público à Paróquia São Francisco, assinada pelo então prefeito em exercício, Carlos Machado, o Cacá Colchões, fez parte do acordo a inclusão do nome de uma pessoa na lista de beneficiados. 

Esta semana, um blog, cuja principal característica é agredir àqueles que não fazem parte do projeto político do seu interesse financeiro, tentou desvirtuar o debate. A acusação de uma possível inserção de documentos de novos pré-selecionados no referido programa habitacional não passa de uma tentativa torpe de tirar do centro do debate os verdadeiros responsáveis pelas absurdas irregularidades e crimes cometidos neste processo por membros da administração que nos antecedeu, acobertando-os. Infelizmente, em detrimento da verdade, essas pessoas menores sempre trocaram favores pessoais pela permissão de serem usadas como porta vozes, aceitando a execução de “trabalhos” os quais, por óbvias razões éticas e morais, muitos recusam. Desse modo, utilizam-se do artifício de inverter a ordem dos fatos com o intuito de confundir a opinião pública sem que, até o momento, tenhamos sido responsáveis pela entrega de uma única unidade habitacional, sequer. Ostg acusadores de agora integravam o mesmo grupo cujas práticas, segundo investigações policiais, aí sim, foram consideradas criminosas devido a fraudes diversas cometidas para concessão de benefícios do programa “Minha Casa, Minha Vida”, trocando-os por votos e locupletando-se, em que pese a desgraça alheia, conforme fartamente comprovado e de domínio público. 

Lamentamos que a sanha acusatória ilegítima, tenha trazido o debate – que deveria se dar em torno das ideias e do desempenho da administração pública – para o “campo da lama”, onde suas atuações se consagram, irrefutavelmente. Assim, vimo-nos obrigados a abandonar a discrição que tivemos até o momento diante dos últimos acontecimentos policiais, em confiança nas instituições e deixando que cada uma cumpra o seu papel. Desprezaram o resvalo da réplica nos ex-companheiros de governo que ora, em virtude da operação policial denominada Citrus, amargam o rigor das leis e tiveram tolhidas, inclusive, suas liberdades. 

Tal irresponsabilidade, no entanto, não poderia e nem deve ficar sem o devido esclarecimento sob pena de se permitir mácula à honra de colaboradores do atual governo, profissionais capazes, ao tempo que embaça a prática de delitos escandalosos na atuação pública, por outros. Sobretudo quando a destinação dos recursos desviados deveria ser as vítimas sociais, a população mais carente, tais delitos tornam-se ainda mais repugnantes e os artifícios para acobertá-los, mais reprováveis .

A reavaliação das documentações dos imóveis que se encontram fora do perfil legal é uma ação conjunta da Caixa e da Prefeitura. A intenção é verificar pré-selecionados, devido à enorme quantidade de pessoas beneficiadas pelos ex-secretários, com a clara finalidade de benefício eleitoral. 

Asseguramos que todo o procedimento adotado foi transparente, com o objetivo de garantir o direito da população que realmente sofre vulnerabilidade habitacional. Por isso se exigiu a comprovação da situação de moradia de todos eles através de documentos, como contrato de aluguel e declarações, juntamente com a Escritura do imóvel em nome do proprietário. Condições de segurança e de transparência nunca exigidas pelo governo anterior. Os nomes que foram retirados da lista pela atual gestão não atendem ao perfil técnico exigido. 

Garantimos à população de Ilhéus, em nome da verdade e da transparência que norteia a nossa gestão, que as pessoas que serão verdadeiramente beneficiadas e contempladas com o imóvel serão aqueles que atenderem aos critérios estabelecidos pelo Ministério das Cidades.

Ilhéus, 06 de maio de 2017

EM 2015, JABES REDUZIU O PRÓPRIO SALÁRIO EM 40%. MARÃO DEVERIA FAZER O MESMO

Prefeito reduziu salários do primeiro escalão em 2015.

No início do mês passado, a Câmara de Vereadores de Ilhéus fez ressurgir das cinzas o projeto de lei que aumenta os salários do prefeito, vice e secretários municipais. Em dezembro de 2016, o então prefeito Jabes Ribeiro havia vetado o aumento, que eleva os vencimentos do prefeito de 18 para 20 mil reais, do vice de 12 pra 15 mil e dos secretários de 10 pra 12 mil. 

À época, o ex-prefeito alegou falta de interesse público pra o aumento, devido à situação precária dos cofres públicos. No entanto, depois de forte pressão do prefeito Mário Alexandre, a câmara derrubou o veto em abril e, por causa da legislação – que não permite novo veto, só cabe agora colocar em vigor o aumento.

Pra manter seu discurso de austeridade, o prefeito pode copiar uma atitude tomada por seu antecessor. Em setembro de 2015, o ex-prefeito Jabes Ribeiro anunciou a redução voluntária de 40% de seu salário e de 20% dos secretários e vice. Na oportunidade, assinou um documento em que abria mão desse  percentual e se comprometia a não reivindicar, posteriormente, os valores.

A medida pode ser seguida por Marão e seus secretários. Já que não pode vetar o reajuste, pode, voluntariamente, abrir mão do aumento sem risco de o município sofrer cobranças judiciais no futuro.

Só depende do prefeito.

MARÃO REPETE JABES E NEWTON E MANTÉM SALÁRIO DO FUNCIONALISMO CONGELADO

A valorização do trabalhador só acontece nas peças publicitárias

Ainda durante a transição de governo, no fim do ano passado, o prefeito Mário Alexandre se comprometeu a reajustar os salários dos servidores. E deu prazo: nos primeiros 100 dias de gestão.

Passados 120 dias, Marão segue fazendo diferente do que fala. Apesar de ter dado uma reposição inferior à inflação aos professores, o governo achata ainda mais os salários dos outros 4000 funcionários.

O problema de salários defasados não é de hoje. Remonta ao último ano do governo Newton Lima e aos quatro sob o comando do ex-prefeito Jabes Ribeiro. No entanto, logo ao assumir, Ribeiro já afirmava que era impossível dar o reajuste devido à precariedade das contas públicas.

Mesmo sabendo que a situação em nada melhorou, mas sim se agravou diante da crise nacional, Mário Alexandre se comprometeu a dar o reajuste, talvez por desconhecer a realidade financeira do município.

JABES SOBRE O CÂNCER: “É UMA LUTA DURA”

Jabes.

O ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, está internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo, pra tratar um câncer na próstata. “É uma luta dura, já conclui o primeiro ciclo de quimioterapia”.

O tratamento causou, segundo o próprio Jabes, efeitos colaterais nos rins, que forçaram sua internação no hospital, onde está há mais de quinze dias. O problema, no entanto, já foi superado, permitindo o início da segunda fase do tratamento.

Em entrevista ao radialista Gil Gomes, Jabes agradeceu à solidariedade do ilheense, “inclusive de pessoas que têm outros posicionamentos políticos diferentes do meu”.

 

LUKAS PAIVA SE SOLIDARIZA COM JABES

Paiva.

O presidente da câmara de Ilhéus, Lukas Paiva, se solidarizou, nesta quarta, dia 15, com o ex-prefeito Jabes Ribeiro. Adversário político de Ribeiro, Paiva declarou que espera a plena recuperação do ex-gestor, que anunciou na última semana o início de tratamento contra câncer de próstata.

Paiva afirmou ainda que a política deve ficar à parte quando questões de saúde, mesmo de adversários, estão em jogo.

A postura do presidente da câmara contrasta com a do prefeito Mário Alexandre, que não se manifestou sobre o problema de saúde de Jabes.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia