WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom bahia secom embasa secom bahia embasa secom bahia secom bahia secom saude></a>
<a href=secom ponte ilheus


setembro 2021
D S T Q Q S S
« ago    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  


:: ‘gusmao’

ISAAC ALBAGLI REBATE NOTA DO BLOG DO GUSMÃO

Albagli rebate.

Por ter tido meu nome citado na matéria “Atraso de aluguéis dificulta retorno da usina de asfalto”, venho prestar os seguintes esclarecimentos:
1- Os aluguéis em atraso, como dito na própria matéria, são referentes a janeiro de 2017 a abril deste ano, portanto não tem nada a ver com a administração de Jabes Ribeiro;
2- A empresa CMA tem alegado que possui créditos a receber da atual administração, daí não ter sido possível quitar seus compromissos;
3- O Edital da licitação que gerou contrato com a nova empresa que vai operar a Usina de Asfalto, previu nas páginas 47, 49 e minuta contratual, que a área a ser instalada a usina PERTENCE ao município, que cederá ao contratante a título de Permissão de Uso. Portanto, a alegação do “atraso” é pífia, e porque não dizer, hilariante;
4- O engenheiro Ednaldo Azevedo não é meu correligionário, e nem sei se o mesmo é filiado a algum partido político.
5- Como essa não colou, conta outra.
Atenciosamente,
Isaac Albagli

CONSTRUTORA PEITA PREFEITURA DE ILHÉUS

Do Blog do Chico Andrade

Embargo foi derrubado na “tóra”

Durante o último domingo, a Superintendência de Meio Ambiente de Ilhéus, órgão vinculado à Seplandes, secretaria de planejamento e desenvolvimento sustentável, capitaneada pelo vice prefeito José Nazal Pacheco Soub, lacrou e embargou obras na zona sul de Ilhéus.

A operação contou com o suporte operacional da CIPA, Polícia responsável por garantir a preservação ambiental. Nessa segunda, contudo, leitores do Blog Chico Andrade que pedem para não ser identificados, afirmam que a construtora retirou placas de embargo coladas durante a operação.

Após a denúncia de leitores sobre a retirada das placas que sinalizam o embargo imposto pelas autoridades, cabe a pergunta: O embargo está suspenso ou a construtora desrespeitou a ação das autoridades ao retirar as placas?

Segundo os autores da denúncia, que residem em locais próximos à construção, as placas foram arrancadas de forma truculenta. Com a palavra, as autoridades responsáveis. Nas imagens abaixo, uma das placas de embargo e locais dos quais placas foram arrancadas

CONSTRUÇÃO IRREGULAR É DEMOLIDA NA ORLA SUL

Da Secom/Ilhéus

Demolição

Uma construção irregular na orla sul de Ilhéus, nas proximidades do Cururupe, foi demolida hoje (5) pela manhã, em uma operação conjunta de fiscais de postura da Secretaria municipal de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável (Seplandes), Guarda Municipal e funcionários da secretaria municipal de Serviços Urbanos (Secsurb).

O proprietário de uma cabana de praia não tinha autorização para a execução da obra que, pelas características de engenharia, teria lage e dois pavimentos, em área considerada de “terrenos acrescidos de marinha”.

No dia 24 de agosto, data do início da construção irregular, o proprietário foi notificado sobre a questão mas insistiu na realização da obra. No dia 27, ao retornar ao local, fiscais da Seplandes, identificaram a continuidade dos serviços de engenharia e embargaram a construção. Apesar das ações do governo, o proprietário desobedeceu as notificações.

Medida extrema – Hoje, após cumprir todos os prazos legais de notificação, a Prefeitura demoliu a obra. Um processo administrativo foi instaurado e está na Seplandes à disposição do responsável pelo empreendimento e de terceiros interessados em conhecer todas as tentativas do governo para evitar a ação desta terça-feira.

Recentemente o prefeito Mário Alexandre assinou um termo de transferência da gestão das praias do município. Um processo movido pela União contra os empresários e que já dura sete anos, ainda pede a retirada dos equipamentos da área considerada “terrenos acrescidos de marinha”.

Ao longo da praia do sul e Cururupe existem, de acordo com o presidente da Associação dos Cabaneiros, Jorge Fonseca, cerca de 50 empreendimentos que promovem o turismo e geram emprego e renda ao município. Destes, apenas três possuem autorização da SPU.

Pioneirismo – Ilhéus é um dos primeiros municípios litorâneos do Brasil a fazer a solicitação, atendendo ao que que determina a Portaria nº 113 da SPU. A SPU analisa o pedido. Caso seja aceito, o termo de adesão será publicado no DOU e terá início sua vigência. O prefeito também se se comprometeu em cumprir todas as exigências para a implantação do projeto orla, no litoral sul do município.

ÁREA DE MANGUE INVADIDA NO BAIRRO NOSSA SENHORA DA VITÓRIA

Casas de alvenaria em área de mangue

Uma área de mangue e, portanto, de preservação ambiental, vem sendo invadida no condominio Vitoria 2, no bairro Nossa Senhora da Vitória, na saída pra o Couto, na zona sul de Ilhéus.

Pessoas procuraram o blog pra denunciar que, nos dois lados da via, ja existem casas de alvenaria que começaram a ser construídas há mais ou menos cinco meses.

A fiscalização ambiental, que enxerga problemas em mesas de bar que ocupam por algumas horas espaços públicos, parece fechar os olhos pra um crime desse porte.

USINA ASFÁLTICA FAZ FALTA A ILHÉUS

Buraco não foi tapado por falta de asfalto

Interditada há quase um mês pela Superintendência de Meio Ambiente, a usina asfáltica do município faz uma falta danada. 

A secretaria de Infraestrutura até tentou resolver rápido o problema de uma cratera aberta na ladeira da Rua do Filtro, que dá acesso ao bairro Conquista, nesta quinta-feira, dia 4. 

Aterraram o buraco com barro, mas não puderam repor o asfalto, já que não há como produzir o material com a usina embargada pelo próprio município.

Resultado: com a chuva dessa madrugada, o barro colocado no buraco fez lama e moradores próximos usaram um fogão pra sinalizar a cratera 

A usina, que poderia ter tido os supostos desvios ambientais corrigidos e continuar em operação, vem fazendo falta também na hora de acabar com a buraqueira nas ruas. 

Com as chuvas dos últimos dias, por exemplo, buracos tendem a surgir e se somam aos que já existem. Sema usina, a buraqueira, no entanto, deve continuar a tirar a paciência do ilheense por um bom tempo.

PREFEITURA DE ILHÉUS SE PREPARA PRA INTERDITAR O AREAL GUANABARA

Imagem ilustrativa

Depois de travar a obra de reforma do restaurante Vesúvio e embargar a usina asfáltica do próprio município, a Prefeitura de Ilhéus se prepara pra interditar o areal Guanabara, localizado nas imediações do bairro de Olivença.

O areal, que teve a licença ambiental renovada em 2016, é o único a abastecer a cidade e seu fechamento deve colocar mais combustível na fogueira acesa dentro do governo do prefeito Mário Alexandre.

A conferir.

FECHAMENTO DA USINA ASFÁLTICA FOI PRECIPITADO

Usina opera há dois anos

Esse é o posicionamento de Ednaldo Azevedo, diretor da CMA Ltda, empresa que venceu a licitação pra operar a usina asfáltica do município de Ilhéus. O equipamento foi embargado na última quarta-feira pela Superintendência Municipal de Meio Ambiente.

Segundo Ednaldo, a urgência em embargar o equipamento não se mostrou clara, já que a empresa poderia continuar a operar enquanto buscava sanar os supostos problemas encontrados. 

“Alem disso, a empresa sequer teve acesso ao processo que culminou no embargo para que pudesse providenciar a defesa e as explicações necessárias”, argumenta Azevedo ao falar de uma possível perseguição sofrida por determinado setor do atual governo municipal. “O devido processo legal, a que todos nós temos direito, foi simplesmente atropelado pela Superintendência”, completa.

Ednaldo afirma ainda  que, além de representar prejuízo à coletividade, pois atrasa a conclusão de obras na cidade, a exemplo da nova rotatória da zona sul, o embargo da usina acarreta em prejuízos financeiros à empresa, que “serão ressarcidos na justiça”.

Quanto ao licenciamento ambiental exigido pela Superintendência, o diretor da CMA alega ser responsabilidade do próprio município, que é o proprietário legal do equipamento. “Quando uma pessoa contrata uma empreiteira pra construir uma casa, o responsável por levantar as licenças é o dono da casa e não quem vai executar a obra. Essa lógica vale pra o caso da usina também”.

Na última semana já havíamos abordado o assunto, analisando o estrago político que a medida significa. Lembre aqui.

GARGANTA DO ALÉM AFIRMA QUE SECRETÁRIO DIVIDE SALÁRIO COM MARÃO 

Se Gusmão disse, é verdade. Link do vídeo da denúncia https://youtu.be/rqBq0DrsoAY

EMPRESÁRIO QUE TEVE OBRA DEMOLIDA EM ILHÉUS QUESTIONA SE FOI FALTA DE COMUNICAÇÃO OU PERSEGUIÇÃO 

O que sobrou da demolição

O empresário Hernani Sá resolveu se manifestar sobre a demolição da estrutura que ele montava na praia do Sul, em Ilhéus, na altura do condomínio Jardim Atlântico. A obra foi demolida pela Superintendência de Meio Ambiente no último dia 6, segundo a Secretaria de Comunicação, a pedido do Ministério Público. Confira o relato de Hernani:

“Eu, HERNANI LOPES DE SÁ, empreendedor, filho de Ilhéus, proprietário do Container-Lanchonete localizado na praia do renascer, na zona sul desta cidade, que teve sua estrutura de madeira demolida no dia 06/04/2017 (Anexo – I) por determinação da SEPLANDES – Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável de Ilhéus, fato esse que foi noticiado pelos meios de comunicação local, venho, em defesa da minha imagem, da minha credibilidade perante a opinião pública e em defesa dos meus direitos como cidadão, informar que:

Protocolei no Gabinete do Prefei de Ilhéus, dia 06/03/2017, abaixo-assinado, assinado por moradores e pessoas da comunidade do surf, solicitando permissão para uso do Container de minha propriedade que já estava no local, para que pudéssemos usá-lo como ponto de apoio na implantação de um projeto sustentável que iria beneficiar os moradores, os surfistas, os frequentadores da praia, oferecendo uma estrutura confortável diferenciada, ao passo que iriamos promover a limpeza da praia, a coleta seletiva do lixo, colocar placas educativas de preservação do meio ambiente, realizar campeonatos de surf e outros eventos esportivos, tudo isso respeitando a vegetação nativa que já se encontrava no local. 

Estrutura era toda desmontável


Após a entrega do abaixo-assinado no gabinete do prefeito, não tivemos mais nenhum problema com a prefeitura de ilhéus, pelo contrário, pessoas do governo prometeram uma caçamba e um trator para retirar o lixo de um terreno baldio próximo, realizamos a construção de um deck modular de madeira, formado por placas de 1,20 m X 1,20 m, que poderia ser desmontado a qualquer tempo, fizemos uma contenção de coqueiros que serviria para conter a maré cheia, feito com troncos já encontrados no chão, fizemos um pergolado de eucalipto tratado que só faltava a telha de policarbonato, para abrigar os atletas no dia do Circuito Carving de Surf, evento que iria inaugurar o espaço no dia 22 e 23 de abril de 2017, em parceria com o realizador do evento Bruno Galini. 

Já estava quase tudo pronto, até as cadeiras de palete fixadas na areia da praia já estavam servindo de apoio para a comunidade, o pessoal do funcional colocava seus pertences em cima, fechamos parceria com a empresa SURREAL-VR, que iria colocar gratuitamente seus equipamentos de jogos de realidade virtual, também na área do pergolado coberto, a dançarina do ventre, Nicolli Darian, já havia sido convidada para mostrar seu trabalho, fazer uma apresentação de dança do ventre com malabares de fogo ao por do sol, pois a nossa estrutura também serviria como espaço cultural. 

O realizador do evento, Bruno Galini, teve a preocupação de convidar salva-vidas profissionais para passar orientações de salvamento e primeiros socorros aos surfistas, que quando estão numa praia sem posto de salva-vidas são os únicos que podem realizar voluntariamente o trabalho desses heróis.

O Prefeito e seus secretários, obviamente, seriam convidados a assistir este espetáculo, nunca visto antes na história de ilhéus. Eventos desse tipo ocorrem na cidade de Itacaré, monta-se toda a estrutura e depois do evento tudo é removido. Em nosso Caso, estávamos pleiteando ficar por tempo indeterminado para uso do espaço, mas se o poder público não permitisse, iriamos remover tudo depois do evento e guardar para eventos futuros, não precisava destruir tudo! Foi muito trabalho e investimento jogado fora, desrespeitando um projeto da iniciativa privada, em parceria com a iniciativa popular, que estava buscando uma parceria com o poder público.

No dia 04/04/2017, chegou uma notificação da prefeitura (Anexo – II) mandando paralisar os serviços, o que foi prontamente obedecido, tanto que no dia 06/04/2017, quando demoliram a obra, não existia ninguém no local, estávamos tentando desembargar junto à prefeitura, inclusive entregamos no gabinete do prefeito, no dia anterior, explicações do que estava sendo feito no local (Anexo – III), ao passo que pedimos apoio, o que foi respondido com uma brutal demolição, que além de derrubar a estrutura, passou por cima de um coqueiro filhote e matou várias plantas em área de preservação permanente que havíamos preservado.

Com relação à madeira que foi levada pelas caçambas da prefeitura, quero saber qual destino foi dado e qual procedimento de retirada, pois tenho nota fiscal e ainda estou aguardando a notificação de apreensão, pois tenho esperança de resgatá-las.

Não sei se houve falha de comunicação entre o Gabinete do Prefeito e a SEPLANDES ou se foi perseguição sem motivo aparente. Mesmo a prefeitura tendo poderes legais para fazer o que fez, acho que não houve bom senso! Até porque quase todos os cabaneiros de praia de ilhéus estão em situação irregular e nem por isso tiveram suas estruturas derrubadas”.

“Feliz a nação cujo Deus é o SENHOR”! (Bíblia Sagrada, Salmo 33:12)

O ESTILO MARÃO 

Do Blog do Gusmão

Se Gusmão disse, é verdade



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia