WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
embasa secom ponte ilheus secom bahia solidaria policlinica itabuna secom bahia


outubro 2020
D S T Q Q S S
« set    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


:: ‘Região’

MERCADO LIVRE INAUGURA CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO NA BAHIA

Mercado Livre

O Mercado Livre iniciou, nesta semana, as operações do Centro de Distribuição (CD) em Lauro de Freitas, na Bahia. O CD em Lauro de Freitas, localizado há 30 minutos de carro de Salvador, possui 35 mil metros quadrados, com capacidade de expansão e capacidade para atender mais de 100 mil clientes por dia. O espaço vai iniciar as atividades com 50 colaboradores, podendo chegar, em sua capacidade máxima, a 500 pessoas trabalhando na operação.

A abertura é parte do plano de expansão da malha logística do Mercado Livre contemplado no investimento de R$ 4 bilhões no país em 2020. A operação do CD será no modelo Fulfillment, em que o Mercado Livre fica responsável por todo o processo logístico do vendedor do marketplace, do estoque de produtos ao pós-venda. Este é o terceiro CD de Fulfillment da empresa no Brasil e primeiro no Nordeste. Os outros dois estão localizados em Louveira e Cajamar, no estado de São Paulo.

O marketplace é uma plataforma, mediada por uma empresa, em que vários fornecedores se inscrevem e vendem seus produtos. O objetivo do Mercado Livre é realizar entregas no mesmo dia ou dia seguinte para Salvador, dependendo do horário da compra. Já as encomendas para o Recife poderão ser feitas em até um dia. Além de fazer entregas mais rápidas para o Nordeste, a ideia é aumentar ainda mais a oferta de frete grátis na região.

CD ESTRATÉGICO

De acordo com Leandro Bassoi, vice-presidente de Mercado Envios para a América Latina, a inauguração deste CD no Nordeste é estratégica para que a empresa dê um salto de qualidade na experiência do cliente do marketplace. “Buscamos realizar entregas ainda mais rápidas e a preços menores, além de ajudar os empreendedores locais a ter uma opção de logística premium sem terem que investir para isso. Esse movimento está diretamente ligado ao nosso compromisso de democratizar o e-commerce e contribuir para que nossas ações se reflitam em toda a cadeia de valor envolvida”, explica Bassoi.

Para a instalação, o empreendimento contou com amplo apoio institucional do Governo do Estado, por meio das Secretarias do Planejamento (Seplan), de Desenvolvimento Econômico (SDE), e da Fazenda (Sefaz). “Este empreendimento é muito importante para a Bahia, pois vai dar uma contribuição significativa para a geração de empregos e de novos negócios, além da atração de novos empreendimentos e incremento da arrecadação do ICMS para a Bahia”, ressaltou o secretário do Planejamento, Walter Pinheiro.

“A Bahia vem, cada vez mais, se tornado uma locomotiva de desenvolvimento. Este grande centro logístico coloca o estado na rota da modernização e concretiza mais uma importante etapa de crescimento econômico neste momento de retomada”, afirma o vice-governador João Leão, secretário de Desenvolvimento Econômico.

REDES PARA O FUTURO

Desde a sua concepção, o CD de Lauro de Freitas se integra ao entorno por meio do “Redes para o Futuro”, programa latinoamericano de formação profissional do Mercado Livre, voltado para a educação e a empregabilidade de jovens nas comunidades onde a empresa atua. Ofertado gratuitamente, o programa conta, no Brasil, com o Instituto Aliança como parceiro executor e pretende formar, em um primeiro momento, 120 jovens em Lauro de Freitas (BA).

JUNTAS, ITABUNA E ILHÉUS REGISTRAM OITO ÓBITOS EM 24 HORAS

Itabuna/Ilhéus

Ilhéus registrou, nas últimas 24 horas, mais cinco óbitos em decorrência do novo coronavírus. O número de mortes no município do sul da Bahia passou de 200, ontem, para 205 nesta quinta-feira (27). De acordo com boletins epidemiológicos,  16 pessoas perderam a guerra para a Covid-19 entre o dia 17 e hoje.

Em Itabuna, nos últimos 10 dias, a quantidade de pessoas que não resistiram a doença foi bem superior. O município contabilizava 167 mortes no dia 17. O número de óbitos chegou a 204 hoje, sendo três nas últimas 24 horas, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

ITABUNA REGISTRA 2.061 CASOS EM 10 DIAS

O número de casos confirmados de novo coronavírus também disparou em Itabuna, saltou de 7.682, no dia 17, para 9.743 infectados nesta quarta. Foram 2.061 infectados pelo vírus em apenas 10 dias.  Nas últimas 24 horas o município registrou mais 137 casos de Covid-19.

Itabuna tem 25 pacientes em estado grave internados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), 46 em leitos clínicos e dois em unidades de semi-intensiva. Existem 5.516 curados. O município tem 4.023 pessoas se recuperando da doença.

Em Ilhéus,  foram registrados 896 casos de novo coronavírus entre o dia 17 e esta quarta. Existem 58 pacientes internados em leitos de UTI, 319 pessoas em isolamento e 189 esperando o resultado do exame. Há 5.369 curadas da doença.

USO DE ARMA DE FOGO EM FEMINICÍDIOS CRESCE NO BRASIL E CHEGA A 35% EM PESQUISA FEITA NA BA

Do Bahia Notícias

Feminicídio

A tipificação feminicídio é aplicada ao crime de homicídio contra mulheres em contexto de violência doméstica e familiar ou em decorrência do menosprezo ou discriminação à condição de mulher. A especificação existe desde 2015, cunhado a partir da Lei no 13.104. Estudos sobre a temática consideram também o feminicídio como o resultado final e extremo de um contexto continuado de violência sofrida por mulheres.

Divulgado nesta quinta-feira (27)  pelo Instituto de Pesquisas Econômica Aplicadas (IPEA), o Atlas da Violência 2020 integra ainda ao contexto do feminicídio os homicídios de mulheres ocorridos dentro das residências. O levantamento revela que, tendo por base esta perspectiva, 30,4% dos crimes contra a vida de mulheres no ano de 2018 teriam sido feminicídio. O Atlas da Violência de 2020 elabora um panorama da violência no Brasil entre os anos de 2008 e 2018. Neste período, 50.348 mulheres foram assassinadas no país, sendo 12.752 dentro de suas próprias casas. 

Somente em 2018, o número de mulheres assassinadas no Brasil apontadas pelo estudo é de 4.519. Destes, 1.373 aconteceram dentro das residências, sendo 552 por uso de arma de fogo. Entre 2013 e 2018, cresceu em 24,9% os homicídios de mulheres com o artefato.

“Entre 2013 e 2018, ao mesmo tempo em que a taxa de homicídio de mulheres fora de casa diminuiu 11,5%, as mortes dentro de casa aumentaram 8,3%, o que é um indicativo do crescimento de feminicídios. Nesse mesmo período, o aumento de 25% nos homicídios de mulheres por arma de fogo dentro das residências, por sua vez, parece refletir o crescimento na difusão de armas, cuja quantidade aumentou significativamente nos últimos anos”, destaca a análise sobre os números brasileiros.

Na Bahia, o total de mulheres assassinadas no período foi de 4.529. O estudo não especifica, no entanto, por estado, se estes ocorreram dentro ou fora das residências e por qual tipo de artefato.

Especialista no tema, a advogada e pesquisadora de Feminicídio do PPG-Neim/UFBA, Angela Farias, que já conduziu pesquisas robustas sobre o feminicídio na Bahia, abarcando inclusive o recorte racial, de gênero e histórico, verificou que, apesar de as armas brancas ainda serem o principal veículo da morte propriamente dita, o uso de armas de fogo tem crescido.

“Esse crime acontece numa escalada de violência. Em 90% dos casos de feminicídio que eu pesquisei são situações de que a mulher já vinha sofrendo violência doméstica e vai aumentando essa violência até o fatídico momento em que o homem mata a mulher. Quanto ao tipo de armas utilizadas, geralmente são armas brancas, mas realmente o número de armas de fogo é em torno de 35%. Isso vem aumentando por essa tendência de legalização das armas como forma de proteção”, avalia a pesquisadora. Angela pesquisou já pesquisou o contexto do feminicídio nas cidades de Esplanada, Inhambupe e Alagoinhas. Segundo ela, proporcionalmente, os contextos se repetem e diz muito da realidade nos mais diversos municípios baianos, inclusive a capital Salvador.

Somente em Alagoinhas, dedicou dois anos de sua pesquisa de doutorado para catalogar individualmente mais de 3 mil processos nas varas crime da cidade, relativos aos anos de 2006 a 2017.

“A realidade de Alagoinhas é muito parecida com uma capital como Salvador ou como Feira de Santana. Possui uma rede de apoio ampla muito parecida com a de grandes cidades, tem DEAM [Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher]. Fui cruzando os dados e a percepção é de que o Sistema de Justiça é muito falho”, ressalta.

“Eu fiz um comparativo. Esplanada é uma cidade pequena, Inhambupe também e estão ali muito próximas. São realidades proporcionalmente parecidas [no aspecto do feminicídio]. O número, a forma como os crimes acontecem, o perfil das vítimas, as histórias das cidades”, acrescenta.

Nos processos catalogado por Angela em Alagoinhas, 20% pontuavam o uso ou apreensão de armas de fogo ilegais. “Existem muitas apreensões de arma de fogo ilegal. Isso significa que as pessoas têm arma de fogo em casa. Isso acaba sendo uma tendência”, diz.

Na Bahia, entre janeiro de 2018 e janeiro de 2020, 9.063 armas de fogo ilegais foram apreendidas, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-BA).

MENINO DE 9 ANOS É A PRIMEIRA MORTE NA BAHIA POR SÍNDROME RARA LIGADA À COVID-19

Crianças

Muito se fala sobre a menor gravidade do coronavírus em crianças e adolescentes saudáveis. Mas nem por isso os mais novos devem deixar de tomar cuidado. Eles, por exemplo, correm o risco de desenvolver a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P). Na Bahia, um menino de 9 anos, morador de Salvador, foi a primeira morte registrada de um paciente com a confirmação da síndrome.

No total, 14 crianças e adolescentes entre 2 e 16 anos desenvolveram a enfermidade no estado até a quarta-feira, 26, de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Além do garoto que acabou morrendo, três doentes continuam internados e 10 já tiveram alta.

Ao todo, o estado registrou 19 crianças e adolescentes com sintomas da síndrome que causa uma inflamação generalizada. Após o diagnóstico, foram detectados 2 pacientes com a também rara Síndrome de Kawasaki, que possui quadro similar à doença ligada ao coronavírus. Outros três casos suspeitos ainda não foram diagnosticados.

Ainda não se sabe qual é a relação exata entre a síndrome e o coronavírus. A doença acomete pacientes com até 18 anos infectados pela doença viral, de acordo com a Infectologista pediátrica, Anne Galastri. Em nota técnica, o Ministério da Saúde delimita a faixa etária até os 19 anos.

A médica informou que os adultos possuem um espectro de contaminação pela Covid-19 diferente da faixa etária pediátrica, o que explica a ocorrência da doença entre os mais jovens. A maior incidência de casos da síndrome ocorre após os 10 anos, aponta a especialista.

Geralmente, os sintomas da SIM-P aparecem entre uma e duas semanas depois da infecção, explica a Infectologista pediátrica. Acredita-se que síndrome se trata de uma resposta imune descontrolada capaz de desbalancear as funções orgânicas do corpo do paciente. Como sugere seu nome, a enfermidade altera o corpo todo, o que explica sua a gravidade.

A médica ressalta que se trata de uma síndrome rara, que acomete apenas poucos casos dentre as crianças e adolescentes infectados pelo coronavírus.

A identificação da síndrome é muito recente e ainda não é possível dizer a sua incidência na população, segundo a coordenadora de imunização do estado, Vânia Vandenbroucke. “Só teremos informações mais concretas quando ocorrer a sistematização das notificações no sistema de saúde. É importante estar alerta pois grande parte dos casos são graves e a ocorrência de uma morte é preocupante”, pontuou a coordenadora.

Relação com o coronavírus
Nem todas as 14 crianças e adolescentes com o diagnóstico confirmado da doença testaram positivo para o coronavírus. Apenas 11 enfermos possuíam a confirmação da covid-19, enquanto três apenas tiveram contato com alguém que pegou a doença viral.

“Nem todos os pacientes são testados de modo adequado para o coronavírus. Nós temos limitações, o que faz com que nem todo mundo que apresenta a síndrome tenha testado positivo para a Covid-19, mas é uma doença correlacionada temporalmente com o coronavírus”, pontuou a infectologista pediátrica.

Os meninos são a maior porcentagem de pacientes com confirmação na Bahia, com 11 casos registrados dentre o gênero, enquanto apenas 3 eram meninas. Dos enfermos, três possuem nove anos, dois têm 10 anos e outra dupla tem 2 anos. As idades de três, cinco, seis, sete, oito, 14 e 16 anos registraram apenas um caso cada.

Cidade do único óbito causado pela SIM-P, Salvador teve o maior número de diagnósticos da síndrome, com oito ocorrências, seguida de Camaçari com dois pacientes com a doença. Madre de Deus, São Sebastião do Passé, Candeias e Santo Antônio de Jesus registraram um enfermo cada.

Segundo a Sesab, são seis os hospitais notificantes para a doença em toda a Bahia, destes quatro são da rede pública e dois privados. A coordenadora de imunização do estado ressalta a importância da notificação para que se tenha uma melhor condução da doença.

“Deve se fazer a notificação para se seja possível elucidar melhor a síndrome e conhecer o seu perfil. Os casos suspeitos e confirmados devem ser notificados e existe um formulários online para isso. Assim, a Sesab e o Ministério da Saúde podem acompanhar os casos, até mesmo para concluir se se trata da SIM-P. A partir do perfil dos casos, se consegue delimitar, por exemplo, quais tratamentos foram mais bem sucedidos”, disse.

O alerta do Ministério da Saúde para a notificação dos casos da síndrome ocorreu em 20 de maio e, junto com ele, veio um pedido para que os serviços de saúde fizessem uma busca retroativa até 26 de fevereiro de casos suspeitos. “Até o momento, os casos mais antigos na Bahia tiveram o início dos sintomas em junho, mas pode haver outros ainda mais antigos”, informou Vandenbroucke.

De acordo com a coordenadora, a Sesab tem feito orientações para o manejo adequado dos quadros da síndrome e também treinando a rede de saúde para atender os acometidos pela enfermidade.

Atenção
Os pais de pessoas da faixa etária focal da doença devem se atentar a mudanças no comportamento dos filhos para que estes sejam tratados rapidamente. Galastri recomenda que os responsáveis mantenham um contato direto com o pediatra que acompanha seu filho e sempre prestem atenção nos sinais de gravidade.

“Existem sinais que apontam para a necessidade de levar o paciente para a emergência. No hospital, será analisado se a criança possui a síndrome. Dentre os sintomas para a ida ao hospital, estão a dificuldade para respirar, a prostração, a ocorrência de convulsão, a desidratação e grandes períodos sem se alimentar ou urinar”, apontou.

Em caso de não tratamento ou uma atenção incorreta, a doença pode evoluir para o óbito. “O paciente precisa receber medicações para bloquear essas inflamações no corpo todo. Existem tratamentos com imunoglobulina, anti coagulante, corticoterapia, por exemplo. É importante que a criança seja atendida em um hospital capaz de dar o suporte necessário para o caso, até mesmo com a disponibilidade de um UTI. Muitas vezes, ocorre alteração em vários órgãos, o que faz ser necessária a intubação, por exemplo”, afirmou a médica, que aponta que vários pacientes com a doença chegam a ir para a UTI.

A síndrome foi relatada pela primeira vez em Londres, onde os profissionais de saúde notaram um aumento nos quadros de Síndrome de Kawasaki com correlação com a infecção pelo coronavírus, contou a infectologista pediátrica, Anne Galastri. “Foi feita uma avaliação, que apontou se tratar da síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica, que é parecida com a doença apontada inicialmente”, afirmou.

Alerta
Em 20 de maio, o Ministério da Saúde emitiu um alerta, em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), com o objetivo de chamar a atenção da comunidade pediátrica para a identificação precoce da SIM-P no país e orientar quanto ao manejo clínico dos casos.

Em nota técnica, datada de 20 de julho, a Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde ressalta que a notificação da síndrome é importante por ser pouco conhecida e emergente, com associação potencial à Covid-19.

A pasta explica que a notificação tem como objetivo a identificar e monitorar a ocorrência de casos de SIM-P associada ao coronavírus no Brasil e caracterizar o perfil epidemiológico dos casos de síndrome no país para adoção de medidas de prevenção, controle e manejo clínico dos casos.

Critérios
A Sesab utiliza os critérios do Ministério da Saúde para a definição de casos suspeitos e confirmados. Para ser caracterizado como a síndrome, o paciente deve possuir até 19 anos, estar internado com a presença de febre elevada, de, no mínimo, 38ºC, e persistente a partir de três dias.

A criança e o adolescente com suspeita da doença ainda tem que apresentar, pelo menos, dois dos seguintes sintomas: Conjuntivite não purulenta, erupção cutânea bilateral ou sinais de inflamação mucocutânea; Hipotensão arterial ou choque; disfunção miocárdica, pericardite, valvulite ou anormalidades coronárias; evidência de coagulopatia; manifestações gastrointestinais agudas, como vômito, diarréia ou dor abdominal.

Para caracterizar o quadro da síndrome, ainda deve ser analisada a existência de marcadores de inflamação elevados. A criança deve ter teste positivo para o coronavírus ou históricos de contatos com contaminados. Também deve ser afastado o diagnóstico de outras causas de origem infecciosas que geram inflamação.

O ministério ainda aponta que crianças e adolescentes que possuem os sintomas totais ou parciais da Síndrome de Kawasaki ou de choque tóxico com evidência de infecção pelo coronavírus também podem ser casos suspeitos da SIM-P.

A infectologista pediátrica, Anne Galastri, explica os sintomas mais comuns: “a criança tem uma febre maior que 38,5º C por quatro a cinco dias, ela também pode apresentar lesões na pele e oral, conjuntivite, o aumento dos linfonodos, o que é conhecido como íngua. Também há a alterações laboratoriais, como na função cardíaca, hepática e renal”.

Casos no Brasil
No Brasil, já foram registradas 9 mortes pela Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica até 8 de agosto, segundo dados do Ministério da Saúde. Ao todo, são 117 casos confirmados da doença entre as crianças e adolescentes do país. “O Brasil monitora casos de SIM-P em crianças e adolescentes, entre 7 meses e 16 anos. O objetivo é identificar se a síndrome pode estar relacionada à Covid-19”, informou a pasta.

Os números podem crescer já que o ministério informou que haverá atualização do assunto ainda nesta semana. Ao ser questionado sobre a ocorrência da síndrome nos estados e em cada idade, a pasta não respondeu.

Segundo informações do jornal O Tempo, apenas três casos da SIM-P foram registrados até julho, todos no Rio de Janeiro. Citando o Ministério da Saúde, o texto informa que cinco estados já registraram óbitos em decorrência da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica. O maior número de casos ocorreu no Rio de Janeiro, com 3 mortes, seguido do Pará e do Ceará, com duas mortes em cada um deles. O estado de São Paulo e a Bahia registraram 1 óbito cada.

A maior parte dos pacientes que desenvolveram a doença tinham até 4 anos de idade, segundo o jornal. Nesta faixa foram 48 casos confirmados e seis mortes. Dos casos confirmados, a maior parte ocorreu em pacientes é do gênero masculino, com 69 confirmações.

Do site Correio 24 horas.

COVID-19: BAHIA TEM CRESCIMENTO NO NÚMERO DE MORTES, SEGUNDO CONSÓRCIO DE VEÍCULOS DE IMPRENSA

Gráfico

De acordo com o consórcio de veículos de imprensa, o Brasil tem 117.789 mortes por coronavírus confirmadas até as 8h desta quinta-feira (27).

A Bahia está entre os estados onde o número de mortes tem crescido. Foram registrados 65 óbitos no estado na quarta-feira (26).

Na quarta-feira cinco estados apresentaram alta de mortes: RJ, GO, AP, TO e BA. Os dados informados são das secretarias estaduais de Saúde.

Consórcio de veículos de imprensa

Os dados sobre casos e mortes de coronavírus no Brasil foram obtidos após uma parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal.

 

BAHIA TEM MAIS CINCO MUNICÍPIOS COM TRANSPORTE SUSPENSO

Rodoviária

América Dourada, Canápolis, Paramirim, Piatã e Sebastião Laranjeiras terão o transporte suspenso a partir de quinta-feira (27). A medida, que tem o objetivo de conter o avanço do novo coronavírus na população baiana, foi publicada em decreto no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta (26).

Ficam suspensas nesses municípios a circulação, a chegada e a saída de qualquer transporte coletivo intermunicipal, público e privado, rodoviário e hidroviário, nas modalidades regular, fretamento, complementar, alternativo e de vans.

O decreto ainda autoriza a retomada do transporte intermunicipal em Gavião, Ituaçu, Jaborandi e Jussiape, cidades com 14 dias ou mais sem novos casos de Covid-19.

Lista de municípios

No total, a Bahia possui 354 cidades com transporte suspenso. São elas: Abaíra, Abaré, Acajutiba, Adustina, Água Fria, Aiquara, Alcobaça, Almadina, Amargosa, América Dourada, Anagé, Andaraí, Andorinha, Angical, Anguera, Antas, Antônio Gonçalves, Aporá, Apuarema, Aracatu, Araci, Arataca, Aurelino Leal, Baianópolis, Baixa Grande, Banzaê, Barra, Barra do Choça, Barra do Mendes, Barra do Rocha, Barreiras, Barro Alto, Barro Preto, Barrocas, Belmonte, Belo Campo, Biritinga, Boa Nova, Boa Vista do Tupim, Bom Jesus da Lapa, Bom Jesus da Serra, Bonito, Boquira, Brejões, Brejolândia, Brumado, Buerarema, Buritirama, Caatiba, Cabaceiras do Paraguaçu, Caculé, Caém, Caetanos, Caetité, Cafarnaum, Caldeirão Grande, Camacã, Camamu, Campo Alegre de Lourdes, Campo Formoso, Canápolis, Canarana, Canavieiras, Candeal, Candiba, Cândido Sales, Cansanção, Canudos, Capela do Alto Alegre, Capim Grosso, Caraíbas, Caravelas, Cardeal da Silva, Carinhanha, Casa Nova, Castro Alves, Catolândia, Central, Chorrochó, Cícero Dantas, Cipó, Coaraci, Cocos, Conceição do Coité, Conde, Condeúba, Contendas do Sincorá, Cordeiros, Coribe, Coronel João Sá, Correntina, Cotegipe, Cravolândia, Crisópolis, Cristópolis, Curaçá, Dário Meira, Dom Basílio, Elísio Medrado, Encruzilhada, Entre Rios, Esplanada, Euclides da Cunha, Eunápolis, Fátima, Feira da Mata, Filadélfia, Firmino Alves, Floresta Azul, Formosa do Rio Preto, Gandu, Gentio do Ouro, Glória, Gongogi, Guajeru, Guanambi, Guaratinga, Heliópolis, Iaçu, Ibiassucê, Ibicaraí, Ibicuí, Ibipeba, Ibipitanga, Ibiquera, Ibirapitanga, Ibirapuã, Ibirataia, Ibitiara, Ibititá, Ibotirama, Ichu, Igaporã, Igrapiúna, Iguaí, Ilhéus, Inhambupe, Ipiaú, Ipirá, Irajuba, Iramaia, Iraquara, Irecê, Itabela, Itaberaba, Itabuna, Itacaré e Itaetê.

A restrição ainda inclui os municípios de Itagi, Itagibá, Itagimirim, Itaguaçu da Bahia, Itaju do Colônia, Itajuípe, Itamaraju, Itamari, Itambé, Itanhém, Itapé, Itapebi, Itapetinga, Itapicuru, Itapitanga, Itaquara, Itarantim, Itatim, Itiruçu, Itiúba, Itororó, Ituberá, Iuiu, Jacaraci, Jacobina, Jaguaquara, Jaguarari, Jandaíra, Jequié, Jeremoabo, Jiquiriçá, Jitaúna, João Dourado, Juazeiro, Jucuruçu, Jussara, Jussari, Lafaiete Coutinho, Laje, Lajedão, Lajedinho, Lajedo do Tabocal, Lamarão, Lapão, Lençóis, Licínio de Almeida, Livramento de Nossa Senhora, Luís Eduardo Magalhães, Macajuba, Macarani, Macaúbas, Macururé, Maetinga, Maiquinique, Mairi, Malhada, Malhada de Pedras, Manoel Vitorino, Mansidão, Maracás, Maraú, Marcionílio Souza, Mascote, Matina, Medeiros Neto, Miguel Calmon, Milagres, Mirangaba, Mirante, Monte Santo, Morpará, Morro do Chapéu, Mortugaba, Mucugê, Mucuri, Mulungu do Morro, Mundo Novo, Muquém do São Francisco, Mutuípe, Nilo Peçanha, Nordestina, Nova Canaã, Nova Fátima, Nova Ibiá, Nova Itarana, Nova Redenção, Nova Soure, Nova Viçosa, Novo Triunfo, Olindina, Oliveira dos Brejinhos, Ouriçangas, Ourolândia, Palmas de Monte Alto, Palmeiras, Paramirim, Paratinga, Paripiranga, Pau Brasil, Paulo Afonso, Pé de Serra, Pedro Alexandre, Piatã, Pilão Arcado, Pindaí, Pindobaçu, Pintadas, Piraí do Norte, Piripá, Piritiba, Planaltino, Planalto, Poções, Ponto Novo, Porto Seguro, Potiraguá, Prado, Presidente Dutra, Presidente Jânio Quadros, Presidente Tancredo Neves, Queimadas, Quijingue, Quixabeira, Rafael Jambeiro, Remanso, Retirolândia, Riachão das Neves, Riachão do Jacuípe, Riacho de Santana, Ribeira do Amparo e Ribeira do Pombal.

Também estão com transporte suspenso Rio de Contas, Rio do Antônio, Rio do Pires, Rio Real, Rodelas, Ruy Barbosa, Salinas da Margarida, Santa Bárbara, Santa Brígida, Santa Cruz Cabrália, Santa Cruz da Vitória, Santa Inês, Santa Luzia, Santa Maria da Vitória, Santa Rita de Cássia, Santa Teresinha, Santaluz, Santana, Santanópolis, São Desidério, São Domingos, São Félix do Coribe, São Gabriel, São José da Vitória, São José do Jacuípe, São Miguel das Matas, Sapeaçu, Sátiro Dias, Saúde, Seabra, Sebastião Laranjeiras, Senhor do Bonfim, Sento Sé, Serra do Ramalho, Serra Dourada, Serra Preta, Serrinha, Serrolândia, Sítio do Mato, Sítio do Quinto, Sobradinho, Souto Soares, Tanhaçu, Tanque Novo, Tanquinho, Taperoá, Tapiramutá, Teixeira de Freitas, Teofilândia, Teolândia, Terra Nova, Tremedal, Tucano, Uauá, Ubaíra, Ubaitaba, Ubatã, Uibaí, Umburanas, Una, Urandi, Uruçuca, Utinga, Valença, Valente, Várzea da Roça, Várzea do Poço, Várzea Nova, Varzedo, Vereda, Vitória da Conquista, Wagner, Wanderley, Wenceslau Guimarães e Xique-Xique.

RUI DEFENDE ADIAMENTO DO CARNAVAL DE SALVADOR

Do Blog do Gusmão

Rui Costa

O governador Rui Costa defende uma proposta de adiamento do carnaval de Salvador até que se tenha um anti-viral ou uma vacina capaz de controlar a pandemia do novo coronavírus.

Rui disse que tem mantido contato com o prefeito da capital baiana para tratar do assunto e que tem trabalhado com o propósito de garantir a retomada da geração de emprego e renda.

BAHIA É O ESTADO DO NORDESTE COM MAIS LOJAS FECHADAS DURANTE PANDEMIA DA COVID-19

Do G1

Lojas Fechadas

Cerca de de 6 mil lojas do varejo fecharam as portas na Bahia no segundo trimestre deste ano. A informação, que é de um levantamento feito pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e Fecomércio-BA, foi divulgada na terça-feira (25). A pesquisa considerou o período entre abril e junho

Segundo o levantamento, a Bahia está na primeira colocação entre os estados do Nordeste com a maior diminuição de pontos de venda no período: foram de – 6,37 mil pontos. Em segundo lugar está Pernambuco (-4,25mil), seguido do Ceará (-3,35mil).

O estado Baiano ocupa a sexta posição no país com mais lojas fechadas no segundo trimestre. Na frente estão, São Paulo (-40,43 mil), Minas Gerais (-16,13 mil), Rio de Janeiro (-11,37 mil), Rio Grande do Sul (-9,69 mil) e Paraná (-9,48 mil).

Conforme o levantamento, o número negativo tem relação com a pandemia do novo coronavírus. Na Bahia, o primeiro caso foi detectado no dia 6 de março. No total, 135 mil lojas foram fechadas em todo o Brasil.

BAHIA É TERCEIRO ESTADO MAIS SEGURO PARA PEDESTRES E CICLISTAS

ciclistas

A Bahia tem a terceira menor taxa de morte de pedestres e ciclistas em acidentes de trânsito do país. O estado concentra um índice menor que a média nacional. O dado foi disponibilizado pelo Ministério da Saúde neste mês e traz um compilado de informações sobre o tema referentes a 2018.

No Brasil a taxa de mortalidade de pedestre entre as vítimas no trânsito é de 2,5 óbitos por 100 mil habitantes, enquanto na Bahia ela é de 1,6. O estado fica atrás apenas do Rio Grande do Norte, que possui a menor taxa do país, e da Paraíba.

Já em relação à mortalidade entre os ciclistas, a taxa nacional é de 0,6 óbitos por 100 mil habitantes. O Amazonas apresentou a menor taxa (0,2/100 mil), Rondônia a maior (1,6 por 100 mil), ao tempo que a Bahia ficou na terceira posição com 0,3. O dado coloca o estado, ao menos teoricamente, entre os mais seguros para aqueles que utilizam bicicletas para se locomover.

 

GOVERNO LANÇA PROGRAMA HABITACIONAL COM FOCO NO NORTE E NORDESTE

minha casa minha vida

O governo federal anuncia, nesta terça-feira (25), a medida provisória que cria a “Casa Verde e Amarela”, novo programa habitacional que vai substituir o “Minha Casa, Minha Vida”, criado em 2009 no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Com a meta de atender 1,6 milhão de famílias de baixa renda com financiamento até 2024, o programa visa reduzir o déficit habitacional no país.

No Norte e Nordeste, os beneficiários serão famílias com rendimento de até R$ 2,6 mil por mês. Já nas demais regiões, os beneficiários devem ter renda familiar mensal de até R$ 2 mil.

Segundo informações do G1, o Casa Verde e Amarela também prevê ações voltadas à regularização fundiária, reforma de imóveis e retomada obras.

Dados do Tesouro Nacional mostram que os gastos do governo com o Minha Casa, Minha Vida caíram drasticamente ao longo dos anos. Em 2010, foram gastos R$ 2,6 bilhões, em 2011, o investimento disparou para R$ 12,3 bilhões e seguiu nessa crescente até 2015, com R$ 25,2 bilhões gastos. A partir daí, o número sofreu um grande queda, chegando a R$ 4,7 bilhões em 2019. Até julho deste ano, o total gasto foi de R$ 1 bilhão.

Durante o lançamento, o Ministério do Desenvolvimento Regional, comandado por Rogério Marinho, informou que será possível ampliar o número de famílias beneficiadas com a redução na taxa de juros do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) “para a menor da história”. As regiões Norte e Nordeste serão contempladas com a redução nas taxas em até 0,5% para famílias com renda mensal de até R$ 2 mil e 0,25% para quem ganha entre R$ 2 mil e R$ 2,6 mil por mês. Nessas duas regiões, os juros poderão chegar a 4,25% ao ano para cotistas do FGTS. Nas demais regiões, o limite será 4,5%.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia