WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom ponte ilheus secom bahia solidaria embasa policlinica itabuna secom bahia


agosto 2020
D S T Q Q S S
« jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  


:: ‘Ilhéus’

ILHÉUS IMPLANTA 5 NOVOS LEITOS DE TERAPIA SEMI-INTENSIVA NO CENTRO DE ATENDIMENTO COVID-19

Leitos de UTI.

A Secretaria de Saúde do Município de Ilhéus recebeu 5 novos leitos de terapia semi-intensiva destinados pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) que já estão em funcionamento no Centro de Atendimento Covid-19, instalado no Centro de Convenções para o atendimento e tratamento de pacientes portadores do coronavírus.

De acordo com o prefeito Mário Alexandre, “essa é mais uma conquista para o povo ilheense no enfrentamento à pandemia da Covid-19, fruto da parceria bem sucedida que temos com o governo do Estado, à quem o Município agradece. Esses 5 novos leitos de terapia semi-intensiva são mais um ganho para a estruturação da nossa saúde, que trabalha incansavelmente para salvar a vida dos ilheenses e proporcionar um atendimento humanizado, digno, adequado e eficaz para o tratamento dos infectados pelo coronavírus. Vamos vencer essa guerra”, declarou.

De acordo com o a Coordenadora de Enfermagem do Centro de Atendimento Covid-19, Daniela Navarro, “com mais esses novos 5 leitos semi-intensivos, além dos 10 leitos de UTI e 9 leitos de observação do Centro Covid, uma qualidade ainda melhor na assistência e atendimento dos pacientes será proporcionada”.

Navarro explicou que os leitos de terapia semi-intensiva contam com os mesmos equipamentos dos leitos de UTI, sendo a diferença apenas em relação aos profissionais que realizam o atendimento. “Tanto o leito de UTI quanto o leito semi-intensivo têm monitorização, hemodinâmica e ventilação mecânica. Porém, na UTI, a equipe é composta pelo profissional médico, fisioterapeuta, enfermeiros e técnicos de enfermagem 24 horas por dia. Já na semi-intensiva, o atendimento é realizado pela equipe de enfermagem. É como se fosse uma parte da assistência intensiva com a diferença do profissional que atente”, explicou.

JUSTIÇA DECIDE QUE ALVARÁS DE TÁXI EMITIDOS POR JABES E CASSADOS POR MARÃO SÃO LEGÍTIMOS

Do Tabuleiro

Táxi.

 

O Tribunal de Justiça da Bahia reconheceu que alvarás de táxi concedidos em Ilhéus pelo então prefeito Jebes Ribeiro, em 2016, são legítimos. No ano de 2017, a atual administração , gerida por Mário Alexandre cassou alguns alvarás. Em nota, a Associação dos Taxistas de Ilhéus e Região – ASSTAXI – diz que defende os interesses dos taxistas que tiveram seus Alvarás cassados e afirma que ingressou no Tribunal de Justiça em 2018, com objetivo de anular um Decreto do atual governo que cancelava os Alvarás.

“Parabéns ao Tribunal de Justiça que praticou a Justiça, aplicando um dos principais princípios do direito que é o direito à defesa, demonstrando que os gestores devem lembrar que se encontram no Estado Democrático de Direito e não podem praticar arbitrariedades com os seus administrados, muito menos com trabalhadores que sustentam suas famílias”, diz a nota.

‘O DESEJO DELE É COMPARAR? EU TOPO!’, DIZ JABES SOBRE CRÍTICAS DE MARÃO

Jabes Ribeiro.

Terminou hoje pela manhã o prazo para que a Gabriela FM desse um parecer amigável sobre o pedido de direito de resposta feito pelo ex-prefeito Jabes Ribeiro, acusado por seu sucessor, Mário Alexandre, em entrevista concedida à emuissora, de ter deixado a Prefeitura com muitas dificuldades administrativas, quando esteve no cargo entre 2012 e 2016.

Jabes fez um pedido extrajudicial à rádio. Como, no tempo legal encerrado agora pela manhã. não teve o sinal positivo para responder às críticas do adversário, anunciou há pouco ao Jornal Bahia Online que vai ingressar na justiça reivindicando esse direito. “Ontem li aqui mesmo no site o empresário Valderico Jr dizendo que os erros do pai dele não o definiam. Hoje ele repete o mesmo gesto do pai, ao me negar um direito de me defender na emissora”, ironizou Jabes, lembrando que travou batalha semelhante com o pai de Júnior, o ex-prefeito e empresário Valderico Reis, tempos atrás, pelo mesmo direito.

No pedido feito à emissora, Jabes afirma que as críticas ou comparações são inerentes ao debate político, bem por isso não é de se esperar que adversários se elogiem em seus discursos.  “Entretanto, a manifestação de fatos sabidamente inverídicos, prejudica a igualdade de oportunidades entre futuros candidatos, sobretudo em ano eleitoral”. Jabes não é candidato. Mas tem um que conta com o seu apoio.

Sem chance de aliança

No documento, o ex-prefeito de Ilhéus considera que Marão distorce a realidade “a partir de informações que tem o condão de influenciar a opinião pública”. Os ataques acabaram de vez com a possibilidade de apoio do PP – Partido de Jabes, à reeleição de Mário Alexandre. O governador Rui Costa tentava costurar esta aliança. Jabes já afirmou publicamente – e até a autoridades de Ondina – que não há mais a mínima possibilidade de conversa e que a guerra, agora, está apenas começando.

Procurado hoje pelo JBO, Jabes negou ter sido o responsável direto pelo afastamento que a atual gestão teve de fazer de centenas de servidores municipais, do período 83/88, sem sequer o pagamento dos direitos trabalhistas. Ele apresenta documentos em que o processo foi proposto por três servidores aprovados no concurso. “O Réu no processo era o Município de Ilhéus. O governo de Mario Alexandre não recorreu da decisão, não discutiu no Tribunal de Justiça para não afastar os mais de 500 pais de famílias”, disse.

Segundo Jabes, ao contrário, quando o juiz determinou o afastamento nem havia ordenado prazo, nem multa e nem se o afastamento era imediato. “Mas o atual governo indagou ao juiz qual era o prazo e se o afastamento era imediato, tendo o magistrado se manifestado pelo fato de ter sido provocado. “O governo claramente queria o afastamento dos servidores para contratar mais pessoas, não somente os concursados, mas vários contratados na área de saúde, educação e assistência social. Tanto é verdade que foi ao Supremo Tribunal Federal para garantir o afastamento, sem pagar os direitos rescisórios de décadas de trabalho”, acusou.

Os direitos

Na opinião de Jabes, se o atual governo tivesse, desde o início, convocado os servidores aprovados no Concurso Público realizado em 2016 (governo Jabes), certamente não haveria a reclamação dos concursados. Afirma categoricamente que não houve demissão destes servidores em sua época de gestão porque o governo entendia que a medida somente poderia ser adotada com um plano de demissão em que ficasse garantido o pagamento das verbas rescisórias e o Município não tinha recursos para isto.

“Afirmar que o afastamento foi causado pela decisão judicial é uma falácia. Muito menos atribuir ao meu governo. Cheguei a afirmar que preferia renunciar a cometer esse crime com centenas de pais de família já próximos da aposentadoria que hoje estão enfrentando necessidades básicas”, finalizou.

Guerra começando

Jabes disse ao JBO que no decorrer das próximas semanas vai falar publicamente sobre diversos temas, especialmente o que considera “mazelas da administração”, comparando contratos e apresentando números do que era e como está a Prefeitura. “Ele não quis comparar? Topei o desafio”, disse, com um certo tom de ironia.

POLÍCIA PODE CONDUZIR QUEM NÃO USA MÁSCARA EM ILHÉUS

Do Tabuleiro

Policia Militar.

Mesmo com o crescente número de casos confirmados por coronavírus, a falta de consciência da população em respeitar os decretos que solicitam o distanciamento e o uso de máscaras faciais assusta em Ilhéus. Durante participação no programa O Tabuleiro – Ilhéus FM, o coordenador do Gabinete de Crise, Regis Aragão, esclareceu que o cidadão que não utilizar máscaras ou tiver aglomerando pode ser levado para a delegacia de polícia para prestar esclarecimentos.

Diariamente no programa O Tabuleiro, ouvintes relatam aglomerações e situações em que pessoas não usam máscara e não se sentem coagidas e nem constrangidas. Segundo Regis, falta consciência da população, “ O uso de máscaras é obrigatório”, pontuou acrescentando que a fiscalização já encaminhou desobedientes para a delegacia.
“Qualquer cidadão pode acionar a autoridade policial e quem não estiver usando máscara, poderá ser indiciado por crime à saúde pública”, esclareceu Régis. Durante a conversa, ele chamou atenção e clamou para população cuidados para prevenção ao Covid- 19. “Precisamos criar consciência. Teste não cura, não imuniza”, declarou. Clique e ouça na integra a entrevista com Regis.

ILHÉUS ESTABELECE NOVO PROTOCOLO PARA DETECÇÃO DA COVID-19

Do Tabuleiro

Teste covid-19.

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) definiu novo protocolo de testagem para a Covid-19. O procedimento segue os critérios estabelecidos pela Nota Técnica COE Saúde nº 54, de 8 de abril de 2020, da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), considerando a estratégia adotada para enfrentamento da doença. Conforme a Sesau, o Município realiza dois exames para diagnóstico da Covid-19. São eles:

RT-PCR (swab): com cotonete passado na garganta e nariz do paciente, a amostra deve ser coletada, preferencialmente, até o oitavo dia do início dos principais sintomas: febre, tosse, coriza, dificuldade para respirar e dor de garganta. Os exames são realizados conforme o estoque de material, priorizando pacientes internados com sintomas respiratórios de moderados a graves, pacientes idosos e pacientes com comorbidades (cardiopatas, pneumopatas, imunodeprimidos, insuficiência renal crônica (IRC), diabetes mellitus (DM), gestação de alto risco e hepatopatia).

Teste Rápido:  A coleta é feita na polpa digital, com um furo no dedo, e deve ser realizada após o oitavo dia do início dos sintomas gripais. O grupo prioritário inclui profissionais da área de saúde e segurança pública, com síndrome gripal; pessoas que residem no mesmo imóvel que esses profissionais; indivíduos com 60 anos ou mais, sintomáticos ou não; população economicamente ativa (idade entre 15 e 59 anos) e portadores de comorbidades de risco.

A Sesau informa, contudo, que a realização dos exames dependerá da sua disponibilidade no serviço. Os pacientes devem aguardar o resultado e manter o isolamento social para evitar a contaminação de outras pessoas.

ILHÉUS RECEBE ÔNIBUS ESCOLAR RURAL DOADO PELO ESTADO

Ônibus.

O governador Rui Costa participou, na manhã desta terça-feira (28), da entrega de ambulâncias, ônibus rurais escolares, tratores agrícolas com e sem implementos e ainda veículos administrativos. A ação, que aconteceu em um evento fechado no Parque de Exposições de Salvador, envolveu mais de R$ 13 milhões em investimentos e beneficia diretamente 120 prefeituras de diferentes regiões do território baiano.

Ao todo, foram 48 ambulâncias, 44 veículos administrativos, 37 ônibus rurais escolares e 18 tratores agrícolas, sendo oito com implementos e dez sem.

O governador lembrou que os recursos são fruto de emendas parlamentares e que os municípios são os que mais ganham quando há uma boa relação entre governo e parlamento. “Dentre os veículos entregues hoje, temos ambulâncias que vão fortalecer esse momento de pandemia da Covid-19, reforçando a Atenção Básica, inclusive na zona rural de muitos municípios. Além disso, outros veículos foram entregues para dar mais mobilidade às equipes de saúde e de outras áreas pelo interior da Bahia”, explicou Rui Costa.

ILHÉUS RECEBERÁ BOLHAS DE CONTENÇÃO QUE PROTEGEM SERVIDOR QUE ATUA NA PANDEMIA

BOLHAS DE CONTENÇÃO.

O Governo do Estado enviou, nesta segunda-feira (27), 90 bolhas de contenção desenvolvidas pelo Senai Cimatec para os nove Núcleos Regionais de Saúde (NRS) da Bahia, localizados em Salvador, Feira de Santana, Alagoinhas, Ilhéus, Teixeira de Freitas, Juazeiro, Jacobina, Vitória da Conquista e Barreiras. A ação é da força-tarefa coordenada pelas secretarias estaduais do Planejamento (Seplan) e de Desenvolvimento Econômico (SDE).

“Estamos enviando bolhas de contenção de forma sistemática para equipar as unidades de saúde que atendem pacientes com os sintomas da Covid-19, fortalecendo o combate à pandemia e oferecendo mais segurança para os profissionais que estão atuando na linha de frente, salvando vidas”, destacou o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro.

As bolhas, confeccionadas com material acrílico transparente, visam reduzir os casos de intubação entre paciente portadores da COVID-19, bem como os riscos de contaminação entre os profissionais de saúde que trabalham na linha de frente de combate à pandemia.

Os Núcleos Regionais de Saúde têm a finalidade de acompanhar as atividades de regulação, vigilância sanitária, dispensação de medicamentos, bem como as ações relativas à Coordenação de Monitoramento de Prestação de Serviços de Saúde, Central de Aquisições e à Corregedoria da Saúde, contribuindo para o fortalecimento da gestão junto aos Municípios.

MEDICAMENTOS EM HOSPITAIS JÁ COMEÇAM A PREOCUPAR; MAGELA NEGA

Do Jornal Bahia Online

Secretário Magela.

As instituições hospitalares de Ilhéus, responsáveis pelo tratamento de infectados pela Covid-19 trabalham, neste momento, no limite do estoque de medicamentos utilizados para os casos mais graves da doença, notadamente sedativos usados em pacientes que necessitam ser entubados nas UTIs. O problema não é localizado. A produção abaixo do consumo tem limitado as vendas em todo o País.

O provedor da Santa Casa de Misericórdia de Ilhéus, médico Eusínio Lavigne disse que o Hospital São José, uma das instituições conveniadas, trabalha “no limite” de alguns produtos “A gente compra determinada quantidade e os laboratórios enviam sempre uma quantidade menor. É preciso regularizar para não faltar”, disse ao Jornal Bahia Online, hoje pela manhã. Vale ressaltar que o Hospital São José é o que disponibiliza a menor quantidade de leitos para casos da Covid-19 em Ilhéus. Em resumo: é lá o menor número de doentes afetados.

O médico Jorge Viana, um dos sócios do Hospital de Ilhéus, disse ao JBO que já encaminhou à Secretaria de Saúde a relação dos medicamentos indispensáveis às UTIs e, de fato, está havendo dificuldades no atendimento. “Os medicamentos estão em falta em todo o Brasil”, queixa-se. “A medicação atual dará para atendimento de poucos dias”, estima o médico. “Compramos medicamentos com preços elevados sendo que a transportadora prometeu entregar na próxima quarta-feira”, informou Viana. Segundo ele, as secretarias de saúde municipal e estadual estão cientes do problema.

O secretário de Saúde do município, Geraldo Magela, entretanto, nega a falta. “Pelo menos que me tenha sido relatado, visto que  temos fornecido quando nos solicitam. Hoje temos um pequeno estoque”, disse Magela ao Jornal Bahia Online na quarta-feira passada. Hoje, em novo contato feito com o secretário, ele assegurou que não há perigo de desabastecimento. “Nós em Ilhéus não tivemos falta, nós conseguimos comprar e temos um pequeno estoque”, afirmou. “Os hospitais, exceto o estadual, temos um termo de cooperação técnica e fornecemos medicação e, na medida do possível, não temos deixado faltar uma grande parte das medicações”, disse ao JBO. Segundo Magela há medicação para 30 dias e está sendo negociada uma nova compra para garantir por 60 dias.

Médicos e enfermeiros que atuam na linha de frente do enfrentamento à doença, informaram ao JBO que a falta de alguns produtos específicos começa a ser notada em algumas unidades. E citam até nomes de medicamentos: Fentanil, Midazolam e bloqueadores neuromusculares. Entre esses, há medicamentos que são extremamente necessários para a sedação de pacientes que necessitem ser entubados.

Praias livres, população liberada

Este foi o primeiro final de semana com praias liberadas pela Prefeitura. O Jornal Bahia Online apurou que o serviço de fiscalização nas praias teve que interromper, entre sábado e domingo, 27 babas  e cerca de 10 bares instaladas na orla foram fechados. O governo municipal não liberou a reabertura destes estabelecimentos.

DOCENTES DA UESC DIZEM QUE PREFEITURA ESCOLHE QUEM DEVE VIVER OU MORRER NA COVID

Nota de repúdio.

A mais dura nota de repúdio elaborada contra a Secretaria Municipal de Saúde de Ilhéus, nesta pandemia, é de autoria da Diretoria da Associação de Docentes da Universidade Estadual de Santa Cruz (ADUSC). A nota define como descaso o tratamento dos pacientes com Covid-19 no município e afirma que a Prefeitura vem adotando uma necropolítica na cidade. “Entende-se o termo necropolítica a partir do conceito desenvolvido pelo filósofo e professor universitário camaronês Achille Mbembe, que o atribui ao Estado que escolhe quem deve viver e quem deve morrer”, afirma.

Leia a íntegra da nota.

A Diretoria da Associação de Docentes da Universidade Estadual de Santa Cruz (ADUSC) vem a público repudiar a ação da Secretaria de Saúde de Ilhéus frente ao descaso no tratamento dos pacientes com Covid-19 no município.

Assim como o presidente Jair Bolsonaro, denunciado mais uma vez na Corte Internacional de Haia por ignorar orientações técnicas no combate ao coronavírus, a Secretaria de Saúde de Ilhéus e a Prefeitura vêm adotando uma necropolítica na cidade. Entende-se o termo necropolítica a partir do conceito desenvolvido pelo filósofo e professor universitário camaronês Achille Mbembe, que o atribui ao Estado que escolhe quem deve viver e quem deve morrer.

Primeiro, podemos citar as amplas críticas feitas pela Secretaria de Saúde à UESC, quando a mesma em uso de sua autonomia decidiu pela suspensão das aulas em março, no início da pandemia. Posteriormente, foram múltiplas as recomendações feitas pelo Comitê de Crise da UESC, do qual a ADUSC faz parte, e pelo Consórcio do Nordeste sobre a reabertura do Comércio em Ilhéus, durante a ascensão exponencial de casos de Covid-19 na cidade, que até mereceu uma ação do Ministério Público para frear um desastre maior. Recomendações que foram ignoradas na maioria das vezes. Além disso, a estratégia de morte adotada pela Secretaria é visível na mudança da apresentação dos dados nos Boletins Diários sobre os casos da doença em Ilhéus, a inconsistência dos dados locais com os da Secretaria de Saúde da Bahia (SESAB) e o forte indício de subnotificação por falta de testes.

Diante dessas observações, é absurdo pensar que a subnotificação é provocada intencionalmente pela Secretaria? Um caso ocorrido neste domingo (26), com uma professora da UESC, pode exemplificar a postura da prefeitura. Quatro familiares da docente foram ao Centro Covid de Ilhéus, em busca da realização de testes swab. Ela fica em casa com outros quatro membros já confirmados como positivos. Na sede, a Secretaria de Saúde se recusa a fazer os testes em pessoas que não estão com insuficiência respiratória grave. Após uma forte pressão da professora, o médico enfim emite a solicitação para realizar os testes. Porém, na recepção do Centro Covid, um dos exames swab é substituído pelo teste rápido, que tem uma grande possibilidade de falso negativo. Submetido a este teste rápido, um familiar da professora com sintomas e que mora com quatro positivados e mais outras três pessoas com sintomas, recebe o resultado negativo.

Esse caso nos faz refletir sobre a conduta da Secretaria no atendimento aos pacientes que chegam ao Centro Covid. A negação ao exame até o último momento pode ser interpretado como um modus operandi do setor. Por qual objetivo? É para diminuir o número de casos positivos na região e assim permitir a flexibilização de medidas como reabertura de comércio, liberação do acesso às praias e da circulação de ônibus? Quantos mais outros pacientes e cidadãos ilheenses sofreram o mesmo descaso por parte da Secretaria? Até a publicação dessa nota, a prefeitura não deu nenhuma satisfação sobre o caso.

Por fim, reafirmamos nosso posicionamento pelo retorno ao distanciamento social até que se configure um cenário mais seguro para a população. Vidas acima do lucro!

Ilhéus-BA, 27 de julho de 2020.

Diretoria da ADUSC

ILHÉUS: COM PRAIAS LIBERADAS, BANHISTAS DESCUMPREM RECOMENDAÇÕES

Do Tabuleiro

Fiscalização na praia.

No primeiro fim de semana de liberação das praias da cidade de Ilhéus, os banhistas descumpriram as recomendações do decreto que só permite banho de mar e proíbe práticas esportivas. No total, foram registradas 50 intervenções.

No sábado (25), foram interrompidos 15 partidas de futebol na areia e quatro pontos com aglomeração no acesso às praias. No domingo (26), o número de intervenções aumentou, foram elas: 15 jogos de futebol, nove Jet Skis e duas lanchas foram interceptadas pela Marinha, e cinco bares fechados na faixa de areia.

Apesar da permissão do banho de mar nas praias da cidade, as práticas esportivas, como futebol, futevôlei, vôlei de praia estão proibidas.

As cabanas continuam fechadas pois fazem parte da quarta fase do processo de retomada da economia.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia