ifba

A maioria da comunidade acadêmica do IFBA Campus Ilhéus decide apoiar proposta do Ministério da Educação para reordenamento dos IFs do estado da Bahia,  e adesão à nota divulgada pelo Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (CONIF).

Na nota, o CONIF reconhece que, “para algumas instituições, a criação de novas reitorias pode melhorar a gestão, redimensionar e aproveitar os traços geográficos, econômicos, sociais e culturais, dinamizar o fluxo de mobilidade nos territórios povoados pelos Institutos e abreviar longas distâncias entre os campi e suas Reitorias”.

Porém, afirma a nota, alguns pontos centrais antecedem esta discussão, e merecem atenção do MEC.

A decisão dos servidores (docentes e técnicos-administrativos em educação), ocorreu durante reunião geral realizada no último dia 15, após uma semana de discussões a respeito da temática.

De acordo com a  proposta do Ministério da Educação, ocorrerá a junção entre o IFBA e IFbaiano, com a redistribuição dos Campi existentes – considerando suas disposições geográficas no estado – e ao final será criado um terceiro IF, chamado na proposta de Instituto Federal do Sul da Bahia (IFSBA), com reitoria em Ilhéus.

Confira a Nota do IFBA na íntegra:

Nos dias 09 e 15 de setembro de 2021 a comunidade acadêmica (docentes e técnicos-administrativos em educação) do IFBA Campus Ilhéus estiveram reunidos para discussão da proposta do MEC sobre o Reordenamento dos IFs do estado da Bahia, onde a partir da junção do IFBA e IFbaiano haveria a redistribuição dos Campi existentes, considerando suas disposições geográficas no estado, e ao final seria criado um terceiro IF, chamado na proposta de IFSBA (Instituto Federal do Sul da Bahia), com reitoria na cidade de Ilhéus.

Após a exposição de pensamentos diversos acerca do tema pela nossa comunidade, apresentados os argumentos favoráveis e contrários à proposta, o encaminhamento realizado foi o de elaboração de um posicionamento oficial do Campus Ilhéus e ,ao final da Reunião, através de votação com os servidores presentes obteve-se o seguinte resultado:

51,8% Favorável ao reordenamento e adesão à nota do CONIF;
12,5% Abstenção;
35,7% Não favorável ao reordenamento proposto e adesão à nota do CONIF
(CONIF – Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educ. Prof., Cient. e Tecnológica)

A proposta, que prevê a criação de dez novas reitorias e reorganiza a distribuição territorial dos campi em alguns estados, num primeiro momento não contempla a criação de novos campi, novas ofertas de cursos e de matrículas, além de a determinação do prazo exíguo para tal discussão – fixado pelo MEC para manifestação dos reitores -, ser insuficiente para exaurir um tema tão estrutural. Vale destacar ainda, que a proposta de reordenamento não é nova, onde estudos iniciaram desde antes de 2016 e que já havia sido cogitada em momentos anteriores, contudo, não houve, à exceção de algumas instituições, qualquer discussão mais apurada do tema, tão imperativa a uma ação dessa dimensão. O CONIF reconhece que, para algumas instituições, a criação de novas reitorias pode melhorar a gestão, redimensionar e aproveitar os traços geográficos, econômicos, sociais e culturais, dinamizar o fluxo de mobilidade nos territórios povoados pelos Institutos e abreviar longas distâncias entre os campi e suas Reitorias. Alguns pontos centrais, no entanto, antecedem este tema e merecem atenção do MEC.

Em seguida, o CONIF elenca uma série de pontos condicionantes que estão conectados às necessidades estruturais para o fortalecimento da Rede, de forma que a proposta de reordenamento seja efetivada em conformidade com o posicionamento das Instituições integrantes. A nota também diz “O CONIF entende que a observância dos pontos destacados na nota, é imprescindível para que o reordenamento gere impactos positivos na vida das pessoas e nos territórios de sua abrangência, de sorte que a Rede continue cumprindo seu papel institucional com segurança e estabilidade, em sintonia com os interesses sociais e os primados consignados na Lei que criou os Institutos Federais em nosso País.”

Dessa forma o IFBA Campus Ilhéus, se posiciona, após consulta democrática à comunidade acadêmica, de maneira favorável ao reordenamento da Rede Federal no estado da Bahia, em consonância com os pontos elencados na NOTA CONIF.