Pescoço do médico agredido

O Site Fábio Roberto Notícias recebeu imagens que mostram as marcas de agressão física, após um médico da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) no bairro da Conquista, ter sido atacado por um grupo de pessoas em pleno ambiente de trabalho. O fato ocorreu na madrugada desse domingo (11) por volta das 00:30.

Abalado psicologicamente, o médico conversou com a reportagem do site na tarde desta segunda-feira (12) e informou que pediu à secretaria municipal de saúde de Ilhéus afastamento das atividades essa semana, por não está em condições de saúde mental para o cumprimento das atividades médicas.

O médico disse também que, no momento em que foi atacado estava atendendo um outro paciente, porém o grupo não se intimidou, invadiu a sala e passou a fazer ameaças com xingamentos, além de agredi-lo fisicamente com chutes e rasgar a roupa do médico usada durante o plantão.

Apesar da UPA contar com a presença de dois guardas municipais, o médico disse que os agressores não respeitaram os guardas e partiram para o ataque. Alegando falta de segurança para trabalhar, o médico teme que novas agressões ocorram, tendo como vítimas a classe médica.

Após o fato, a vítima compareceu na delegacia acompanhado de outros médicos, onde registrou boletim de ocorrência e, em seguida, passou por exame de corpo de delito no departamento de polícia técnica.

O caso:

Na madrugada deste domingo (11) um homem identificado como José Almeida procurou atendimento na UPA após, sofrer profundo corte no pé direito, mas por se tratar de um corte complexo, o médico Abel Louro de Figueiredo encaminhou o paciente para o Hospital Regional Costa do Cacau, por ter melhores condições para atendimento. A esposa da vítima acompanhada de outras pessoas começaram um tumulto generalizado no interior da UPA, com palavras de baixo calão, como: viado, drogado, preguiçoso e ainda partiram para agressão física dando vários chutes no médico, deixando o uniforme e o óculos danificados.

IMG-20201012-WA0189

Roupa do Médico agredido