Do Tabuleiro

FIOL

O Ministério da Infraestrutura se opôs a sugestão da área técnica do Tribunal de Contas da União (TCU) de restringir a participação de atuais concessionárias de ferrovias no leilão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol).

A operação do trecho entre Ilhéus (BA) e Caetité (BA) será transferido à iniciativa privada, e, de acordo com o jornal Estado de S.Paulo, o governo aguarda o aval do tribunal de contas para publicar o edital da concessão.

O argumento da pasta é de que restringir a participação de empresas não faz sentido em mercados como o ferroviário, uma vez que há poucos operadores atuando no mundo todo.

Ficará a cargo do relator do processo no TCU, ministro Aroldo Cedraz, analisar as alegações do governo e da área técnica. A expectativa do Ministério da Infraestrutura é de que a Corte analise o processo de concessão da Fiol em breve, para que o edital seja publicado ainda em 2020.