Do Ilhéus Comércio

Ex-prefeito comenta nota de repúdio da ADUSC sobre o combate à epidemia de Covid-19 liderado pelo prefeito Mário Alexandre.

Nesta segunda, 27, a ADUSC divulgou nota de repúdio afirmando que a gestão da crise provocada pela Covid-19 em Ilhéus descambou para a “necropolítica”.

Ao comentar a nota da Associação de Docentes da UESC, numa mensagem de texto enviada à redação do site via WhatsApp, o ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP) acusou o prefeito Mário Alexandre (PSD) de conduzir as medidas de combate ao vírus com “total irresponsabilidade”.

Na terça-feira, 28, o Ilhéus Comércio informou que a taxa de letalidade da doença em Ilhéus é duas vezes maior que a da Bahia, além de superar a brasileira e a de cidades como Itabuna.

Depois de ver o indicador alarmante, Jabes Ribeiro reagiu à notícia com outra crítica a Marão. “Se cuide, o piloto é irresponsável”, escreveu o secretário geral do PP na Bahia, em novo comentário enviado ao repórter do site, que vive em Ilhéus.

Também nesta terça-feira, o site conversou por telefone com o secretário de Saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, para quem a avaliação do ex-prefeito é enviesada pelo partidarismo, desprovida de fundamentação técnica e proveniente de alguém que está longe da realidade do município por morar em Salvador.

Em relação à nota de repúdio da ADUSC, o secretário preferiu aguardar a resposta formal que a prefeitura deve divulgar em breve.

Sobre a taxa de letalidade, o secretário admitiu que é alta e indica subnotificação, mas enfatizou que nenhum morador de Ilhéus morreu de Covid-19 por falta de atendimento médico ou de leito de terapia intensiva.