Do Tabuleiro

Amendoeiras são cortadas na Avenida Soares Lopes.

Um inquérito civil para apurar a derrubada das amendoeiras na Avenida Soares Lopes, ocorrida nesta semana, foi instaurado pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), através da 11ª Promotoria de Justiça de Ilhéus. Os moradores denunciaram que, com o episódio, diversos pássaros conhecidos como “maritaca” ficaram sem abrigo.

Apesar da existência de uma licença ambiental e de compreender a necessidade da remoção das árvores, o promotor Paulo Sampaio considera que o ato não atendeu os critério técnicos no que se refere ao manejo da fauna local, demonstrando “a inexistência de um plano de manejo em relação aos pássaros ou simplesmente a inadequada execução do plano por parte do município de Ilhéus”.

O Ministério Público pede, ainda, que a supressão das amendoeiras seja interrompida até a apresentação e avaliação desse plano, sob pena de pagamento de multa no valor de R$ 10 mil por cada árvore derrubada, sendo responsabilizados o secretário de Serviços Urbanos, Hermano Fahning, e a superintendente de Meio Ambiente, Joelia Sampaio, em caso de descumprimento.

A Prefeitura de Ilhéus informa que a derrubada das amendoeiras atende ao sistema viário da nova Ponte Jorge Amado.