Na semana passada, divulgamos que os vereadores Lukas Paiva, Tarcísio Paixão e Aldemir Almeida, investigados por corrupção e alvos de mandado de prisão preventiva (Paixão e Paiva) e afastamento do mandato (Aldemir), continuavam a receber salários mesmo longe de desenvolver suas funções. Nessa terça, dia 9, a Câmara de Vereadores informou que a informação não procede. Leia a seguir.

Nota de Esclarecimento

Câmara.

Embasada na recomendação expedida pela Procuradoria-Geral da instituição, a Câmara Municipal de Ilhéus informa que não procede a informação veiculada na mídia local nos últimos dias sobre o recebimento de subsídios pelos vereadores afastados do mandato em maio.

De acordo com a recomendação da Procuradoria da Câmara, prontamente atendida pela Presidência, os acusados que sofreram medida de prisão estão com salários suspensos desde a data da operação. Já aqueles que foram meramente afastados receberam até o mês de junho, mas por cautela, com base nos princípios da supremacia do interesse público sobre o interesse privado e da indisponibilidade do interesse público, ficarão sem receber até posterior deliberação judicial.

A Câmara Municipal de Ilhéus ressalta, mais uma vez, a importância de ouvir e buscar informações das fontes oficiais e se coloca à disposição para maiores informações.