Do Pimenta

Vítimas.

Adriano Barreto e Thadeu Oliveira foram condenados, no final da noite desta quarta (15), a cumprir pena de 16 anos de prisão em regime fechado pela morte dos jovens Regiane Cássia Vitório e José Fernando Bispo. Adriano e Thadeu participavam de um “pega” em 14 de março de 2010, na Avenida Lomanto Júnior, no Pontal, em Ilhéus, quando provocaram o acidente, matando Regiane e José Fernando.

O julgamento durou mais de 12 horas, quando, ao final, o Tribunal de Júri deu o veredito, no Fórum Epaminondas Berbert de Castro. O júri foi presidido pelo titular da 1ª Vara do Júri de Ilhéus, Gustavo Henrique Almeida Lyra, tendo o advogado Jacson Cupertino na acusação, além das promotoras Giovana Barbosa e Darluse Ribeiro.

Regiane e José Fernando saíam de uma festa do Restaurante Boca du Mar, na Lomanto Júnior. Eles estavam em um Gol Volkswagen e foram atingidos pelos veículos que participavam do “pega”. Adriano dirigia uma picape GM Montana e Thadeu um VW Golf. Conforme as investigações, ambos provocaram uma série de colisões que resultou nas mortes. Regiane faleceu na hora e Adriano morreu 10 dias depois.

Adriano foi preso logo após ao acidente, enquanto Thadeu somente se apresentou à justiça um ano e meio depois, após ter fugido do Hospital Geral Luiz Viana Filho, ficar foragido e ter pedidos de habeas corpus negados por todas as instâncias do Judiciário, inclusive o Supremo Tribunal Federal (STF).

A defesa de Adriano Barreto e Thadeu Oliveira foi feita pelo advogado Cosme Araújo. Ele sustentava a tese de que os réus não tinham a intenção de matar, mas não obteve sucesso. No trânsito, quem comete “pegas”, sob a luz do Código de Trânsito, assume essa intenção.