Câmara

Na manhã dessa quarta-feira, dia 15, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Ministério Público da Bahia (MP/Ba) deflagraram a operação Chave E, que investiga desvios financeiros, fraudes e lavagem de dinheiro no âmbito da Câmara de Vereadores de Ilhéus. O que se sabe até agora:

– De acordo com o MP, a operação mira crimes contra a administração pública, fraudes em licitações e contratos e lavagem de dinheiro, praticados entre os anos de 2011 e 2018

– Foram expedidos sete mandados de prisão e dez de busca e apreensão, pela 1ª Vara Criminal de Ilhéus, além de afastados um vereador e sete servidores da Câmara Municipal. Empresários também integram a lista.

– O ex-vereador e atual secretário de Agricultura de Ilhéus, Valmir Freitas, foi preso em casa;

– O Blog do Gusmão informou que também são alvo de prisões preventivas: Aêdo Laranjeira de Santana, Cleomir Primo de Santana, Leandro da Silva Santos, os vereadores Lukas Paiva e Tarcísio Paixão, e o funcionário da Câmara de Vereadores de Ilhéus, Paulo Leal.

– Os vereadores Lukas Paiva (PSB) e Tarcísio Paixão (PP) também foram alvo de busca e apreensão. Paiva teve a casa arrombada por policiais, já que não se encontrava no local durante a ação. Paixão presidiu o legislativo ilheense entre 2015 e 2016. Paiva o sucedeu (2017/2018);

– O vereador e médico, Aldemir Almeida, foi afastado do cargo. Segundo o Blog do Gusmão, Almeida fez ameaças a um servidor do legislativo, com objetivo de desencorajá-lo a contar à polícia sobre possível mau uso de recursos da câmara;

– Ainda não foi divulgado o montante estimado que pode ter sido desviado pelo grupo criminoso;

– O nome da operação – Chave E, é uma referência ao empresário Enoch Andrade, dono das lojas Andrade Multicompras. O empresário já é alvo de processos e ficou preso, em 2017, por crimes investigados na Operação Citrus, que investiga desvios em recursos da assistência social do município.