Cacau.

Pela primeira vez o Parque Ibirapuera, localizado na cidade de São Paulo receberá mudas de cacau originadas da Bahia, nesta sexta (12). Uma ação simbólica que valoriza o meio ambiente e toda a importância histórica da planta para o país.  Realizada pelo Instituto Biofábrica – um dos maiores em produção de mudas no país -, o evento conta também com o apoio e parceria do Parque do Ibirapuera.

Um momento histórico que irá revitalizar ainda mais o verde do parque que possui 1 milhão e 584 mil metros quadrados de área e quinhentas espécies de árvores. Considerado por muito um verdadeiro jardim botânico, o parque revela espécies de plantas como o jacarandá mimoso, o jatobá, pau ferro, os ipês roxo, amarelo, rosa e branco, entre tantas outras espécies.

O Instituto

Localizado na Bahia, o Instituto Biofábrica de Cacau (IBC) produz vasta quantidade de cultivares, entre mandioca, essências, cacau e outras fruteiras. Recentemente, a Biofábrica implantou o Kit SAF – Kit Sistemas Agroflorestais, que reúne mudas de cacau, açaí, graviola, abacaxi, urucum, goiaba, banana, mandioca, ipê, leucena, pau-cigarra, pau-brasil, olho de pavão, entre outras. O Kit SAF é uma inovação do IBC, com o objetivo de proporcionar ao agricultor, simultaneamente, um componente produtivo, arbóreo e de alimentação.

Outra inovação da Biofábrica é a produção dos rocamboles de mudas. Um rocambole é capaz de conter 50 mudas, de mesma espécie ou diferentes, o que reduz espaço para cultivo e para o momento do transporte. Com essas novas opções, mais de 400 mil mudas foram distribuídas apenas no primeiro semestre de 2016.

O Festival

A plantação coincide também com o período da páscoa e abertura do Festival Internacional de Cacau da Bahia que acontecerá neste sábado, dia 13, no pavilhão da Bienal do Ibirapuera e conta com mais de 40 marcas de chocolates e produtores de cacau do estado que estarão presentes no evento que vai até o dia 14 de abril.

Entre os produtores, estarão as marcas Bahia Cacau, Amado, Sagarana, ChOr e Mestiço. Idealizado pelo empresário baiano Marco Lessa,o Chocolat Festival teve sua primeira edição em 2009, em Ilhéus, e desde então marca o calendário turístico da cidade, considerada a capital do cacau e eternizada pelas obras de Jorge Amado.

Além da exposição e venda dos chocolates, o evento contará com o curso ‘Bean To Bar’, ministrado pela francesa Chloé Doutre Roussel, pela venezuelana Maria Fernanda di Giacobbe e pela brasileira Luisa Abram, nos dias 10 e 11 de abril, na Universidade Anhembi Morumbi.