Usina.

A empresa CMA Comercial Ltda, vem através deste solicitar que sejam publicados os seguintes esclarecimentos acerca da matéria publicada em 28 de maio de 2018, cujo título é USINA DE ASFALTO SOFRE SABOTAGEM E VIRA CASO DE POLÍCIA, conforme a seguir:

1) A CMA fora contratada em 18 de maio de 2016, durante a gestão do então prefeito Jabes Ribeiro, para operar a Usina Asfáltica do município e, a pedido do prefeito eleito Mario Alexandre, teve o contrato prorrogado por mais 07(sete) meses. Daí, por iniciativa do governo do Sr Mario Alexandre, o contrato foi prorrogado por duas vezes, findando em 19 de março de 2018. Ou seja a CMA manteve contrato com a prefeitura de Ilhéus por um período inferior a 02(dois) anos e não 03(três) como noticiado na matéria. Considere ainda que, por decisão do governo Mário Alexandre, a usina ficou fora de operação de abril a setembro de 2017, época do embargo feito pela Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável da prefeitura, e de novembro de 2017 a março de 2018. O que implica dizer que a CMA efetivamente operou a Usina por um período inferior a um ano;

2) Com o encerramento do contrato em 19 de março de 2018, a responsabilidade pela posse e guarda da usina passou a ser única e exclusiva da prefeitura, não cabendo à CMA qualquer ação nesse sentido;

3) Em 17 de maio de 2018, durante entrevista concedida no programa o Tabuleiro, o prefeito Mario Alexandre garantiu ao apresentador e à população ilheense que a Usina voltaria a funcionar na semana seguinte e agora a população ilheense é surpreendida com a notícia de que a usina fora vítima de sabotagem em 15 de maio de 2018. Fica a seguinte pergunta: Por que o prefeito garantiu que a usina retomaria as atividades de forma imediata se a mesma não estava apta para tal? O prefeito desconhece os problemas do município ou o que realmente aconteceu?

4) Desde o encerramento do contrato até a presente data, a CMA tem mantido contato frequente, praticamente diário, com os representantes da prefeitura (Secretário de administração, Secretário de Infraestrutura, Secretário de Fazenda e vários outros servidores) e nunca foi relatado qualquer anormalidade com relação aos equipamentos. Esse contato se dá em função da existência de medições que ainda não foram pagas, relativo aos serviços prestados no ano de 2017 e à manutenção do canteiro no período de 01 de janeiro a 18 de março de 2018.

Por fim, a CMA espera pela conclusão dos procedimentos e pede a rigorosa apuração e responsabilização daqueles que causaram danos ao Erário.
Atenciosamente,

Ednaldo S. Azevedo
CMA Comercial Ltda