Do Tabuleiro

Sem qualquer preocupação, e em plena luz do dia, um grupo de homens de nacionalidade colombiana empresta dinheiro a juros abusivos no Terminal Urbano e Central de Abastecimento do Malhado, em Ilhéus.

A prática, conhecida como agiotagem, é considerada como crime contra economia popular e sistema financeiro, podendo os envolvidos ainda responderem por associação criminosa. Nessas localidades, o empréstimo ocorre há pelo menos três meses, por pessoas facilmente identificáveis.

O Tabuleiro  apurou que a condição imposta às vítimas (pequenos comerciantes) no município é a de pagamento diário e que os juros podem chegar a 20% sob o valor emprestado. Em caso de não quitação da dívida, o devedor pode ter mercadorias e bens materiais confiscados pelo grupo, classificado como “nada simpático” na hora da cobrança.