Da Secom/Ilhéus

Limpeza na praia

32 sacos de lixo recolhidos da praia em um só dia. Casca de coco, sacos plásticos, garrafas de vidro. A maior parte, suspeita-se, comercializada nos bares e restaurantes instalados nas imediações. A avenida Soares Lopes, localizada bem ao centro de Ilhéus – e um dos cartões postais da cidade – sofre com a falta de consciência ambiental. O lixo deixado por banhistas cresce a proporções bem maiores que as iniciativas de preservação. Mas elas, também, existem. E resistem. “Dois montes gigantescos de lixo. Ficou um enorme para amanhã (domingo)”, desabafou Maria Aparecida Aguillar Lima, que integrou uma iniciativa de limpeza da área que frequenta rotineiramente.

Maria Aparecida ressalta que sua iniciativa é particular e reúne a família e amigos na operação limpeza: aposentados, representação de ONGs, policiais e professores de educação física, ajudaram na limpeza da praia. Mas nas entrelinhas ela também traz o discurso de que é preciso a região se unir para fortalecer a potencialidade de seus atrativos naturais: ela é presidente da Câmara de Turismo da Costa do Cacau, um instrumento de fundamental importância para desenvolvimento do turismo na região, composta por sete municípios: Canavieiras, Santa Luzia, Una, Ilhéus, Uruçuca, Itacaré e Itabuna. Um dos seus principais objetivos, a construção de um plano de ações para otimizar o setor turístico regional.

Conscientização – Moradora da avenida Soares Lopes e dona de três pousadas em Itacaré, a empresária, para além da ação de limpeza, destaca a importância da conscientização. O “trabalho de formiguinha” mesmo. “Precisamos unir forças. A praia é de uso de todos. Aproveitei e conversei com os donos de bares e restaurantes para fazer a limpeza no final do dia e deixei uns sacos de lixo com eles”, assegurou. Ela defende mais parcerias público-privadas nas ações de preservação ambiental, como já acontecem na vizinha Itacaré. “Entendo que são deveres dos dois lados”, assegura.