Do Tabuleiro

Moradores do loteamento Jardim Atlântico I, na zona sul de Ilhéus, protestam contra a construção do novo Fórum da Justiça Estadual e do Ministério Público, em terreno doado pela Prefeitura Municipal de Ilhéus.

Pelo menos 3 faixas contra a construção foram penduradas no local, onde já existe a pedra fundamental do empreendimento, lançada na última segunda-feira (29), em cerimônia que contou com a presença da presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, a desembargadora Maria do Socorro Barreto.

De acordo com os moradores, a área verde, pertencente ao loteamento, deveria abrigar equipamentos de lazer para a comunidade, conforme memorial descritivo e planta.  Além disso, os moradores lembram que no local havia uma densa arborização, com diversos exemplares de Madeira de Lei e Pau D’Arco, mas estes foram removidos por máquinas à serviço da Prefeitura, sob a justificativa da construção de campos de areia, quadras poliesportivas e área para cooper.

Na internet, 400 assinaturas contra a construção já foram recolhidas, via um abaixo-assinado. O documento gerado foi formalmente encaminhado ao prefeito Mário Alexandre e ao Ministério Público no dia 11 de dezembro do ano passado, 55 dias antes do lançamento da pedra fundamental.

No passado, a área já foi alvo de discussão semelhante, quando foi doada à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Ilhéus (APAE) para construção de sua sede, mas a obra foi ‘barrada’ na justiça por representantes da comunidade do loteamento.