Da Secom/Ilhéus

Valmir ao centro, ladeado por Marão e Lukas Paiva.

O ex-vereador Valmir Freitas, também conhecido como Valmir de Inema, é o novo secretário municipal de Agricultura e Pesca de Ilhéus. Ele foi empossado hoje (20) pelo prefeito Mário Alexandre, em ato que aconteceu no Centro Administrativo da Conquista. Valmir de Inema substitui a Angelito Dias Filho, que passa a ocupar a Gerência de Ações Regionais.

“Valmir vem pra fazer história como o primeiro homem do campo a se tornar secretário de agricultura do município”, destacou Mário Alexandre. Valmir de Inema é uma indicação do deputado federal Bebeto Galvão, do PSB. “Acreditamos no potencial do PSB, para juntos construirmos as melhores condições para o pequeno agricultor da nossa cidade”, justificou o prefeito de Ilhéus.

Liderança – O novo secretário é natural do distrito interiorano de Inema, foi vereador de Ilhéus por dois mandatos e até a posse de hoje vinha exercendo a função de chefe de gabinete do Poder Legislativo. Estiveram presentes à posse, o secretário de governo, Alisson Mendonça; o presidente da Câmara, Lukas Paiva; o presidente local do PSB, Diego Messias; e os vereadores Nino Valverde; Pastor Matos e Abrahão dos Santos.

Para o presidente da Câmara, perde-se um colega de trabalho, mas o governo adquire um homem comprometido com as pessoas que vivem no campo. “Ele assume a secretaria no intuito de ajudar o governo e o município e a gente torce para que tudo dê certo”, disse Paiva.

Para o novo secretário, poder estar fazendo parte de um governo popular é uma honra. “Sou do interior, conheço as suas necessidades e iremos implementar projetos buscando, junto as esferas estadual e federal, benefícios visando a melhoria de vida do homem do campo”, garantiu.

Para o secretário de Governo, Alisson Mendonça, nomear hoje, Valmir, secretário, é promover a inclusão do homem simples do campo no governo municipal.  A escolha de Valmir para o cargo foi democrática, segundo o presidente do diretório municipal do PSB.”O partido vai ajudar no que for necessário”, completou Diêgo Messias.