Do Tabuleiro

Evento.

O vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal Soub, em exercício do cargo de prefeito, e a secretária estadual de Cultura, Arany Santana, participaram de um ato contra a censura e a intolerância religiosa. Com um público formado por artistas, estudantes e representantes dos Povos de Terreiros de Ilhéus, o evento aconteceu na última sexta-feira (27) à noite, na Tenda Teatro Popular de Ilhéus, na Avenida Soares Lopes.

“Nesse momento estamos vivendo uma onda terrível de ataques à liberdade. No campo da arte e no tocante às religiões de matriz africana”, lembra Romualdo Lisboa, diretor artístico do Teatro Popular de Ilhéus (TPI). “É um assombro ver assentamentos sendo depredados e o povo de santo impedido de realizar seus ritos, em atos de brutalidade”, lamentou.

Nazal também lamentou o momento complicado vivenciado pela sociedade brasileira e disse que “é preciso mais respeito às opções os outros”. Sentado ao lado da Mãe de Santo Ilza Mukalê, Nazal falou do orgulho em participar de um debate deste nível com pessoas preparadas e cientes do seu papel na sociedade em que vivem. “Ouvir Mãe Ilza falando sobre sua ancestralidade e toda sua experiência de vida renovou meu animo”, afirmou.

De acordo com Romualdo Lisboa, o comportamento de setores da sociedade tem deixado temerosa a classe artística. “Por isso queremos sempre, enquanto artistas, marcar nosso posicionamento diante das questões relevantes para a sociedade”, garantiu. O evento ainda contou com a participação especial de Cabeça Isidoro, com a apresentação do espetáculo “Ensaio sobre uma tal democracia”.

O encontro reuniu personalidades como o deputado estadual Rosemberg Pinto, o vereador Makrisi Angeli, a diretora da Fundação Cultural do Estado da Bahia, Renata Dias, Lula Dantas, da Associação do Culto Afro Itabunense e Alexandre Simões, Superintendente de Promoção Cultural do Estado da Bahia.